BIDI1 - 01 de Julho de 2018


Áudio Original
Clique aqui para fazer o download do áudio




Nota:

Mix1- Texto padrão, do minuto 00:07 a 25:02.
Mix2- Texto padrão, do minuto 25:20 a 49:23.
Mix3- Texto padrão, do minuto 49:29 a 77:29.
Mix4 (Final) - Texto padrão, do minuto 77:55 a 115:19.
____________________________________________________________



Mix1 (em 31/07 às 23h)


 
Bidi: E Bidi está com vocês e lhes saúda, então parece que estamos em direto, portanto é preciso que eu fale bem distante, mas primeiramente Bidi fica com vocês no silêncio a fim de nos acolhermos, de nos darmos a paz, e tudo que vocês têm a dizer e que eu vou dizer, se inscreva no seus corações sem passar pela cabeça.

...Silêncio...

Bidi: Bom você pode começar pelas questões escritas. Eu te escuto.


Bom dia Bidi, eu não compreendi porque as profecias eram falsas. Você pode me esclarecer, agradecido.

Bidi: E quem disse que as profecias eram falsas? É simplesmente a configuração linear temporal que hoje não tem nenhum sentido. Naturalmente na vivência e a descoberta do Amor, o Amor se tornou preeminente sobre toda profecia como sobre todo o tempo, é isso que mudou.

Mas é suficiente olhar à sua volta para se aperceberem que tudo que foi escrito mesmo no seio das religiões, como entre os profetas, os mais antigos, como os mais recentes, se produz.

Há uma diferença, como eu lhes digo, é que hoje vocês são inumeráveis a viver a ressurreição e a Verdade. E isso, como o Amor, prevalecem sobre toda noção temporal. Portanto tudo se desenrola sim, exatamente como anunciado, onde quer que você esteja interessado nos texto da profecia. Simplesmente o agenciamento linear, uma sucessão de eventos, não quer dizer mais nada. É o Amor que está aí e a Verdade, e não aquilo que foi escrito, qualquer que seja a época, o continente, ou o profeta. O Amor é muito mais importante que as profecias, bem mais importante que toda ilusão desse mundo, e vocês são cada vez mais numerosos a o viver.

Portanto eu lhes solicito mais do que nunca a entrar ao mais profundo de vocês, a atravessar tudo que se tem de atravessar por vários de vocês, durante essa semana e esse mês, e de alguma maneira de avançar para ali onde tudo é tranquilo, ali onde tudo é persistente e ali onde tudo é permanente. E eu estou seguro que nós teremos perguntas sobre as inadequações daquilo que é vivido aí dentro e a persistência da ilusão, desde que olhamos a nossa volta. É normal, e lembrem-se quando vocês estão na Verdade real e concretamente, o tempo não vai mais dizer nada. Se vocês têm a impressão que o tempo se desenrola  no interior de vocês é porque vocês não estão no seu interior. Evidentemente o tempo ainda existe, se é um dia da semana e você trabalha, você não pode ignorar que você deve ir trabalhar, mas no interior isso não existem mais. E é, além disso, como isso tinha sido explicado, em passando do interior ao exterior que você constata um mínimo de diferença, entre o estado interior verídico para além de toda imagem e daquilo que se desenrola de maneira temporária na ilusão das suas vidas como da sociedade.

De lá você pode julgar, se eu posso dizer, o que é predominante no que vocês vivem. Se vocês estão presos pelo tempo, por um prazo qualquer que seja, mais do que pelo Amor, vocês constatarão que o Amor não desaparecerá, mas parece se afastar, e desde que o Amor se afaste daqueles que o vivem isso é uma dilaceração. É justamente por esse processo que você toma o hábito de permanecer nessa vacuidade, lá onde nada pode aparecer, tal como visão e viagem. Não é questão aqui de consciências diferentes, eu lhes disse durante as últimas reuniões, aquilo que faz a diferença é a medida se posso dizer, da paz, a medida da Alegria, a medida do espaço em que você vive onde não há nem questões, nem interrogações, sobre a ilusão desse mundo. O Amor não pode se aclimatar com preocupação ligada a ilusão.

Você já se adequa a esse Amor que vocês são, para ver o outro, para lhe amar, para lhe comer, para constatar que ele está em vocês. E eu já tinha explicado já há dois, três meses, a noção da bandeja de pesagem, mas doravante a balança é mais pesada do lado do Amor do que do lado da ilusão, mas você constata também que em volta de você no exterior não é ainda o caso, o que vocês fazem nesse caso aí? Você não pode contrariar ou se opor ao outro, em passando pela ilusão, quer dizer, pela palavra, pela persuasão, mas unicamente permanecendo firmemente no interior, lá onde tudo é vacuidade, tudo é paz, e o Amor pode sem atenção, sem vontade, irradiar à sua volta o Amor. No instante que você tem compreendido, aplicado esse mecanismo, não pode sobrar elemento saído da ilusão que possa lhe perturbar, que isso diga respeito ao sofrimento do corpo, o funcionamento da ilusão, ou a ocorrência do evento.

O Amor lhes convidará ainda mais a ficar no Amor, enquanto que a pessoa ou o que resta dela, como as pessoas em sua volta, farão tudo para tirá-lo daquilo que poderia ser uma ilusão; não espere para acolhê-los de braços abertos. Vocês são aqueles que vieram quebrar o sonho e a ilusão, não por vocês mesmos, mas pelo braseiro do Amor, pela iluminação do que você vive, em vocês que irradiam espontaneamente para fora. Todo o resto como ação está fadado ao fracasso, quer dizer, de forma diferente, quanto mais vocês manterem com firmeza a Verdade que vocês são adiante da cena, mais a cena vai se afastar, e mais a insistência daquilo que pode aparentemente se opor a você, mesmo na família, não pode que desvanecer. Mas se você procurar a justificar, a explicar, a fazer compreender, vocês desencadearão exatamente o inverso.

Você deve testemunhar, sim, porque um testemunho não tem necessidade de ser lido por um próximo, mas lido por todo o lugar, e isso é sinceramente transformador. Mas, não espere daqueles que têm uma ligação profunda com você, nesta ilusão deste mundo, ver com bons olhos isso que você vive, porque você não está mais no modelo de funcionamento, você está fora do sistema, e vocês serão cada vez mais, a cada dia, a cada hora.

O Amor quer vocês inteiro e inteiramente, você não pode comprometer, compor ou explicar. Você só pode ser cada vez mais intensamente, de maneira cada vez mais verídica e autêntica, todo o resto só pode fracassar.  Ora, se você quiser, para aqueles que são apressados ainda que o evento chegue, permaneça tranquilo, permaneça na beatitude onde não há nada a ver, doravante nada mais a atravessar, nada mais a explicar, nada mais a demonstrar. Evidentemente meu acólito e vocês são vários também a ter aberto o atelier da descriação. Vocês quebraram todos os mitos, todos os arquétipos, tudo que podia ainda fazer obstáculo, mas vocês constatam que a pessoa em sua volta está ainda aí, não?

Vocês não têm outra ação a tomar, a não ser serem vocês mesmos, o mais frequente possível. Façam à tentativa, experimentem, e vocês constatarão invariavelmente o mesmo resultado. Aquilo que se passa quando você vê o outro, quando você o toma no seu coração, como você o come, como você diz, para constatar que ele está em você, mas tudo que é exterior a você ainda, mesmo dentro da sua família, há um laço, um laço afetivo, um laço dito familiar, isso aí você o vive, as vezes com desespero, mas lembrem-se que vocês estão exatamente, na situação certa, no lugar certo, e no tempo certo, para realizar a Verdade.

Não desvie essa Consciência Nua para a direção de outra coisa que o Amor Nu. Quanto mais você permanecer tranquilo, ou preguiçoso, como se tem dito, doravante quanto mais você permanecer assim, mais será fácil, para você como para todos os personagens a sua volta. Aí eu falo da sua presença, eu não falo daquilo que vocês escrevem, que ajudam também, que isso seja dos testemunhos, de um poema, que pode tocar não importa quem, mas que não tocará aqueles que estão próximos de você. Eles vão lhes rejeitar, e o fato de ser rejeitado ou de se sentir rejeitado, cria necessariamente uma dualidade, você não absorveu a relação afetiva, familiar, hereditária ou outra. Não é mais um problema da pessoa, é um problema de transação, de relação entre duas ilusões. Veja-o assim, e não de outra forma. Isso não significa que não existam armadilhas, significa apenas que todas as circunstâncias  que você tem que atravessar seja qual for a aparente dificuldade, existem apenas para lhes afirmarem na verdade, e não em outra coisa. Se não como você quer que você prove para qualquer outro a verdade do Amor se você mesmo se retira para justificar, ou para recair na reação. Você deve absorver a relação, independentemente da pessoa. A relação nesse mundo, Anael tinha explicado longamente, a relação é uma ligação, para criar uma relação é preciso de pessoas qualquer que seja a relação, mas desde que o outro está em você, você vê um pouco a dificuldade para o ego de aceitar isso.

Você não tem de mudar ninguém, você tem de ser aquilo que você é, a testemunhar, a cantar, a pintar, pouco importa, mas não numa relação que é próxima. Você não pode levar ninguém porque de qualquer maneira ninguém existe. Portanto, você não pode mais, e você vai constatar, eu diria de maneira cada vez evidente e significativa, segundo onde se posiciona sua consciência, seu Amor. Ou isso será fluído ou isso vai resistir, e isso é uma maneira para você reajustar ou se realinhar a Verdade, não na condição de uma relação. Não se deixe ser abusado pelas aparências, pelas formas, pelas ideias, pelos conceitos, pelas energias, pelas visões. Há algumas semanas atrás, era essencial de alguma forma dissolver todos os espelhos de cotovia (expressão que indica aquilo que fascina com uma aparência enganosa), todo o sonho, mas não substitua isso por outro sonho. O Amor não tem necessidade de sonho.

Você pode continuar.


Bom dia Bidi, você pode nos dizer a nova cronologia do que se vai se passar até o planeta grelha?...

Bidi: Jamais na vida.


...risos…eu lhe agradeço.

Bidi: questão seguinte.

Bom dia Bidi, agradeço por todos esses anos que nos guiou. 
Minha mãe por razões de problemas de saúde veio morar comigo. Ela é uma pessoa difícil de conviver, e depois eu não pude mais estar em paz.  Quando sinto amor, ela tenta sempre me atacar, meu marido está sempre em conflito com ela. Será que o problema vem de mim? Você pode me ajudar, obrigada.

Bidi: Mas quando você está no Amor real e totalmente, doravante nada do exterior pode lhe afetar, nem do seu próprio corpo, porque se você depende de uma ausência de dor, ou de uma calma no seio desse mundo, você não é realmente livre. Você vive as experiências do Amor, sim, mas aquele que vive a Verdade de uma maneira instalada, permanente, irremediável, não pode ser afetado neste estado por qualquer elemento do exterior, e justamente o fato de viver isso lhe demonstra. Você tem que ultrapassar isso. Enquanto você depender do seu corpo, enquanto você depender do que quer que seja desse mundo, isso é um álibi, você não precisa se sentir culpado do que quer que seja, você tem simplesmente de lhe ver, permanecer tranquila, não reagir, permanecer firmemente estabelecida nessa paz do Amor. E, claro, que todo o resto e em particular as relações vão se resolver, se eu posso dizer, por elas mesmas. Mas você não as pode resolver partindo da pessoa, trazendo de volta o Amor na pessoa. Como eu lhes expliquei na questão precedente.  É justamente através desse jogo, que não é mais simplesmente ir e voltar, desde que você fique no mesmo lugar, mas esse jogo lhe mostra e demonstra que não há solução além do Amor. Isso não impede que, como eu já lhes disse, se você tem um problema de dinheiro, de resolver o problema de dinheiro, se você tem um problema de pessoa, resolver o problema de pessoa, mas não justifique isso por Amor.

Quanto mais você se mantiver tranquila mais você comerá, mais você absorverá tudo no seu ambiente. Mas, desde que você se desestabilize, você tentará retornar com as lembranças do Amor ao centro desta pessoa, para resolver qualquer coisa. Nesse caso, obviamente, não só você não resolverá nada, e mais você vai constatar a cólera, um fogo terrível que chega; mas você não é nem responsável nem culpada. É justamente a iluminação dessa circunstância específica que lhe é mostrada.

Enquanto você acreditar, e você pôs a questão como isso, permanece uma crença, porque quando você pede, ou você se pergunta como escapar de uma relação tóxica, sobretudo se há um laço familiar ou marital, como você faz? Se você voltar para a pessoa você vai sofrer. Se você permanecer no Amor, você diz: isso não resolve nada. Eu lhe digo: você não emergiu profundamente no Amor. Você é ainda suscetível, você é ainda reativa, em vez de provar a si mesmo para si mesmo que o Amor vem à frente de tudo. Mas não se sirva deste estado de Amor, para voltar para a pessoa, agir com a pessoa, se é realmente intolerável com as regras desse mundo. O amor não faz de você pinguim, por enquanto, mesmo se há sintomas de estase, e você verá que nós vamos ter certas questões sobre isso.

Mas aproveite do seu momento, quando você está na pessoa, para ver claramente as coisas, não para se culpar, ou para perguntar, vivendo esse estado, porque que os outros me incomodam? Mas evidentemente eles não estão no mesmo estado. Vocês vão constatar cada vez mais, que vocês não podem estar que no Amor. Perante a toda problemática, se vocês tentarem outros meios, bem, vocês irão descobrir que isso fará mal. Mas se vocês têm um problema numa relação, nada lhes impede de ir à relação para lhe regular de pessoa à pessoa, até o momento que vocês verão que a intensidade do Amor e do fogo interior, do seu Amor Nu, é tal, que nada pode vir lhes desestabilizar, ou lhes desviarem. Mas até lá, você terá que compor, e o Amor transforma, antes de fazer desaparecer a pessoa também.

Portanto, vocês devem ser capaz, mesmo no seio da pessoa, da personalidade, de uma relação extremamente íntima, marital ou de criança, de parente, vocês vão poder fazer como experiência, mas isso não se faz em duas semanas, isso se faz instantaneamente, pela sua benevolência, pela sua aceitação, atravessando isso, mais do que se opondo de uma maneira ou de outra a isso. Isso foi dito, o Amor lhe toma inteiramente, ao nível que vocês chamam de seus corpos, como de todo espaço, como de todo o tempo, vocês não tem possibilidades de outras ações.   


____________________________________________________________



Mix2 (em 02/08 às 13h)



Bidi: Você pode continuar.


Olá para todos. Qual é a utilidade que não seja para si mesmo alcançar e permanecer no alinhamento vibratório no Aqui e Agora. Eu me explico. Nesse mundo de interação, estar em alinhamento torna as relações impossíveis com a maioria que não é e que funciona no julgamento da ação reação. Você entende minha pergunta? Obrigado a você caro amigo.

Bidi: E bem, caro amigo, eu já respondi na pergunta anterior, mas isso você ilustra a perfeição. O que é que você quer? Ser a Verdade ou estar numa relação? A um certo momento você não pode fazer concessões, aconteça o que acontecer. O peso do Amor se tornará tão intenso que todo o resto, sem nenhuma exceção, deverá se tornar visível. Você não pode manter o antigo com o novo. Você o vê, você o constata, você o vive.  Então o que você faz? O mundo ainda esta aí, você se demitiu? Você volta no relacionamento com todos os apegos? Ou você vai, além disso, para o mundo do amor e da verdade? Porque se você ainda acha que o amor depende de algum relacionamento, de qualquer idade, de qualquer bem estar você está enganado. O amor é independente de tudo nesse mundo. Então é claro que durante o bom mês de maio você viajou, para muitos, você trabalhou, você contribuiu. Agora é hora de colher as recompensas. E você também verá, como eu digo, que quanto mais denso é o amor, mais ele te toma completamente. É claro que até agora todos nós dissemos a você, uns e aos outros, que você deve assumir e não rejeitar nada, mas se o amor te colocar em êxtase por uma semana, como você faz isso? Você vai voltar para ver o médico, para que ele o faça parar o trabalho? Ou você vai voltar para agradar seu filho ou sua mãe, ou você vai permanecer no Amor? É uma questão de compromisso, só se pode notar que o amor está sempre ganhando, que nada pode se opor à verdade, mesmo nas relações conflituosas ou nas obrigações. As obrigações são obrigações da sociedade, não são as obrigações da Vida, nem do Amor ainda menos, não é questão de fugir de qualquer coisa que seja ou de quem quer que seja. Eu não estou pedindo para você se demitir, mas você deve ver por si mesmo, que quanto mais você se deixar derreter, fusionar, inflamar pelo Amor, menos o que concerne à ilusão, pode chegar até você. Se não, o amor não serve para nada. Caso contrário, o sonho pode continuar.

Mas você não pode mais dar energias da consciência, ao que faz o mundo.

Há um momento em que há uma ruptura e vocês são cada vez mais numerosos a vivê-la. E é aí que é a escolha, a finalidade que todos sabem, você todos viverão.

Mas neste período, o que você faz? Você facilita a revelação do amor?  Ou você mantém qualquer que seja o custo o que é inútil, o que é ilusório?  Você não sairá disso pela consciência em si, mas apenas pelo vazio, pela A-consciência, pelo Absoluto. E é bem possível para cada um, que isso seja através de sua troca, seu testemunho, de constatar isso. Você coloca o Amor na sua frente, ou você coloca o relacionamento na frente? É o que a luz exige de agora em diante a cada instante, e ela vai chamar de uma maneira cada vez mais insistente. O sacrifício não é uma palavra vazia, a ressurreição também não. Alguns vivenciaram, desde o início de abril, uma série de processos. Estes processos foram reais, não? Eles conduziram necessariamente a essa descoberta, que é o seguinte, você é cada vez mais inadequado à qualquer ilusão que seja. A verdade hoje não pode mais lidar com a ilusão, e será cada vez menos. Então, seja você genuíno e verdadeiro, ou você está tentando compor. Pode ser justamente para você que essa seja a noção de sacrifício, mas você não precisa se isolar. Você precisa estar lúcido a cada minuto. Mas não se deixe levar por tudo que é ressonância, reação,  dualidade  ou qualquer outra coisa.


Você pode seguir.


Podemos ter confirmação que de todo esse sofrimento vivido na ilusão já não pode ser reproduzido a nenhum custo para o mal pressentimento?

Bidi: É suficiente viver o amor uma vez para não ser mais atraído por isso. De não mais ser alcançado por isso. Quando você está verdadeiramente neste Amor desconhecido, o peso da pessoa, o peso do sofrimento, o peso da ilusão, se afasta irremediavelmente de você. Você não pode ter certeza de nada se não for do Amor. O amor é alegria, o amor é paz. O amor mostra a você que o que está acontecendo na tela da consciência ordinária como de toda a consciência é apenas uma ilusão que passa. A aclimatação à verdade é feita neste exato momento, não fora deste corpo ou de qualquer viagem, mas precisamente o que é chamado Amor Nu que é, repito, evidência. Se para você não é óbvio então é simplesmente porque você ainda não está lá. Não há necessidade de fazer outra pergunta, nem de como e nem por que; só tem que ser constatado, e deixar a inteligência da Luz ser vivida. Mas como o comandante disse, você não pode deixar sua mão no pote com amendoim, com a mão fechada, solte tudo. Hoje esse é o grande desafio do Amor até agora, apesar de tudo o que vocês viveram que foi muito intenso, durante esse mês que passou.  Mas você só pode ver que as ilusões deste mundo são de peso, relativo ao Amor que é evidência. Vendo ambos e tendo vivido ambos é você quem decide, onde você está? Onde você está? Não é mesmo um entendimento que você pode chamar de intelectual, mas isso decorre diretamente do que você vive. Você não pode viver o amor, ser amor e ao mesmo tempo alimentar outra coisa. Isso foi possível ainda há algumas semanas. Mas a intensidade do Amor é tal, em todos os lugares, heim? Não apenas no seu coração,  que em breve você não poderá mais procrastinar de alguma forma. Lembre-se que o comandante lhe disse, ninguém pode servir dois mestres de cada vez. Quem é o mestre? O Amor ou a ilusão? É você quem decide, e sua consciência e sua vivência traduz apenas isso. Você é completamente autônomo, meu acólito lhe disse. Você é o mestre da consciência, quem é o mestre da consciência? O Amor, não a pessoa. A pessoa está sujeita à consciência. O Amor leva você além da consciência, para a fonte da consciência, antes da primeira criação, e quando você está lá, qualquer que seja o curso da sua vida, quaisquer que sejam os eventos deste mundo, você não pode mais se desviar nem um pouco. Sem isso você não é livre totalmente. A Liberdade não é querer fazer o que você quer neste mundo. A verdadeira Liberdade é ser emancipado de todo o mundo. Todos estando presentes neste mundo. Algumas ferramentas extremamente simples foram dadas a você durante o mês de maio. Ver que o outro mesmo do pior dos encrenqueiros não é que outra parte de você mesmo. Se você não é capaz de aceitar isso, como você quer viver o amor a cada instante, a cada minuto? Isso significa que o outro, você considera como ao exterior de você.

Na sua língua, você não o comeu, não o amou. O Amor não pode rejeitar nada nem mesmo dentro da ilusão, pois é o Amor que põe fim à ilusão, nada mais. Nem sua vontade pessoal, nem a ação do ABBA ou de todos os ABBAS. No final, se deve haver uma única pergunta, é que estou feliz ou não? Seja qual for as circunstâncias do meu corpo, seja qual for as circunstâncias da minha vida, seja qual for o estado das relações familiares, relações profissionais, afetivas ou outras. Você depende do clima? Você depende de um humor, você depende de uma pessoa, uma história, um personagem ou não? Acabou isso de jogar nas dimensões, nos arquétipos. Ponha a si mesmo neste Amor Nu. Amor Nu não tem nada a fazer com consciência. É assim que você termina a equação. Não pela experiência, pelo estado, que depois você deixa de mão, mas na instalação definitiva, permanente e irremediável deste Amor, o que quer que custe, o que  quer que lhe diga o meio ambiente, o que quer que diga seu corpo, o que quer que seu personagem diga, não importa que personagem e isso nunca será uma luta, isso é uma evidência. A ação, as ações que devem ser realizadas dentro das imagens, as histórias, os arquétipos, as religiões, de tudo o que é ilusório, foi feito. Você completou seu contrato. Agora é hora de apreciar o amor, de só ser isso, que é tudo isso, e não ser parado por qualquer circunstância do efêmero. Então é claro que até agora você teve a consciência, se posso dizer, atrelado ao corpo, mas os laços com os tornozelos estão saindo. Você não precisa ir a nenhum outro lugar, pois tudo acontece no interior, e que o espaço da solução está no seu interior, não na relação. Falar com a outra pessoa que te incomoda como a mamãe agora, fale com ela dentro de você, mas não a veja como um personagem exterior, como sua mãe, seu marido, seu filho. Caso contrário, neste feito, você mantém por um tempo a dualidade. O Amor não conhece a dualidade. Ele não conhece nenhuma falta. É isso o Amor Nu, não é outra coisa. É rir de sua própria morte, seu próprio sofrimento. Sem isso, o que isso quer dizer?  Sem qualquer culpa, diz-lhe que você está sujeito a isso, qualquer que seja a intensidade das suas experiências, de seus estados, e quanto mais intensidade, raiva, dissabor, de efeitos como o comandante disse, de yoyotee (movimento de vai e vem), é isto.  Ou da pequena bicicleta. Mas como não há mais do mental, como é que você faz? Cada vez mais, a cada dia, a cada hora, a cada olhar posto dentro ou fora, o Amor deverá estar lá imediatamente. E você não pode lhe achar em procurando, ou pela vibração, simplesmente pelo desaparecimento doravante. E se você desaparece realmente, de sua ocupação, de sua atividade, de sua relação. É precisamente neste desaparecimento que você vai retornar à fonte. Não se opondo a você, não mantendo a todo custo a pessoa.  Se a luz quiser você em seu tempo pessoal em totalidade agora, você não vai lhe dizer retorne amanhã.

Ou eu tenho outra coisa para fazer?. Você não deve definir suas prioridades, mas vê-las no trabalho. E mais vocês estão imergidos na Verdade desse Amor Nu, menos tudo que pertence a esse mundo, em qualquer aspecto que seja, não pode lhe incomodar. É impossível. Minhas palavras são talvez severas, mas é hora de se queimarem, e a Luz lhes queimam, e é feito para isso. Não foi feito para manter uma história, um personagem ou qualquer relação que seja.  Porque o Amor leva a essa nudez, lá onde não há nem consciência, nem forma, nem história, nem identidade, nem tempo, nem espaço. A vocês de verem.  Seja você deixa a Verdade lhe tomar, seja você joga o jogo da ilusão. Mas a pessoa vai fazer você dizer,”sim”, mas como eu vou fazer para comer? Como vou fazer para pagar isso ou aquilo? Como eu faço para criar meus filhos? Mas é preciso saber o que você quer? Mas você não pode mais e poderá cada vez menos ainda compor. Não é mais nem a sua pessoa, nem a sua história que decide, é o Amor. Portanto, ou  você é esse Amor que decide, ou  você permanece na pessoa mesmo tendo vivido os estados de Amor, de braseiro, mesmo como você diz , você não vai te consumir por nada.

Existe agora uma situação de fato, o amor é cada vez mais evidente em todos os lugares, mas lembre-se a largata tem de desaparecer um dia ou outro, não? Você aceita o desaparecimento ligado ao Amor ou vocês se opõem? Vocês reivindicam a plenitude, a Alegria eterna, e por um outro lado vocês fazem exatamente o contrário. Como é que vocês querem que isso resulte na Alegria permanente?  Este Amor inefável? Se vocês continuam a por a frente, uma história, uma pessoa, mas não sou eu que os obrigo a fazer isso, é a Luz que faz, é o Amor, que vão se opor a isso. E já é o caso. Lembre-se tudo aquilo que você mantém te mantém também. No Amor vocês não podem manter nada. Hoje a Luz, o Amor não podem que se tornarem inteiro e total, e o Amor se acomoda cada vez menos com a ilusão.  Então não vão, por eu não sei que moral, porque eu não sei qual obrigação desse mundo, se opor ao Amor. Reencontrar a criança interior , como se diz no ocidente, a espontaneidade, a evidência não pode se viver na sua totalidade, se a pessoa é ainda presente.  No instante vocês viveram através da pessoa, através da história, desse mundo e dos arquétipos, mas depois o que é que vocês fazem?

Nós podemos continuar.



____________________________________________________________



Mix3 (em 04/08 às 11h)

 
Nesta última vez, meu personagem está ciente da doença e da morte, da minha, ocupando-se, no espírito, de uma maneira agonizante. Sinto-me triste, preocupado e os jogos da mente não me deixam espaço para o silêncio e a paz. Eu aprecio suas palavras, eu te amo Bidi, eu sou você e você sou eu.

Bidi: Mas se o Amor está aí, concretamente aí, a morte daquele corpo que não deve se procurar, nem desencadear, mas ela se ocorre em sua consciência, o espírito não pode estar agitado no Amor, porque você sabe no Amor, não há ninguém, nem história, nem personagem, nem dimensão, ao contrário, além da fadiga, eventualmente você deveria estar em uma alegria sem sentido. É a pessoa com todo esse reflexo de sobrevivência que não depende do que você é, que te perturba. Veja claramente, porque uma vez que é vista, verdadeiramente vista, você não pode mais ser identificado com a mente ou com aquele humor. É precisamente, eu diria, a apresentação de dois aspectos, a consciência ordinária e a consciência final, que estão lado a lado. E é precisamente quando você o vê e o vive, que você pode decidir onde você está. No amor não há constrangimento, até a morte não é um fardo, muito pelo contrário. Sem isso efetivamente o amor é inútil, ele é inútil para a pessoa. Se não estiver nesses estados, eu diria inicial, se pudermos usar esse termo de ressurreição que poderia servir  a vocês de ver as duas realidades. Mas hoje considerando a intensidade da luz, sua inteligência, daquilo que você vive no seu peito, você tem que perceber, e você vai perceber que é um ou outro, mas que em nenhum caso os dois podem estar sobrepostos. Não há nada para fazer. Aí também tem-se apenas que ver, e deixá-lo ou atravessá-lo ou deixá-lo atravessar. Qualquer ação, a partir de agora, que será realizada a partir da pessoa, será apenas sofrimento e resistência, tudo o que será conduzido pela inteligência da Luz e pelo Amor será fluidez, evidência e facilidades. Eu não posso te dizer melhor. Isto foi explicado, há muitos anos pelo comandante, pela resposta do coração, por exemplo, mas agora você nem precisa fazer a pergunta, você só precisa vê-lo.

Se você realmente vê a pessoa no trabalho, quem é que ele vê ? Ele vê aquilo que você é. Então, você confia no que você é? Ou você confia no que diz o personagem? Você confia no amor? Ou não? E não somente pelos estados interiores. Isso é o que a vida te pede todos os dias. Já existem razões suficientes para a pessoa reagir neste mundo pela postura. Você deve respeitar a liberdade de cada um, não importa o que você vive. Doravante vocês são todos os Anciões, as Estrelas, os Abbas, tudo o que você quiser, mas você não pode compor com o personagem. O personagem e a historia primeiro. A ruptura que você pode chamar de transubstanciação ou interrupção é verdadeira. Ela não é para amanhã, ela não é para depois.

Não é uma questão de compor, é uma questão de se deixar resolver, de se deixar se afastar.


Bidi: Você pode continuar.

Como viver qualquer coisa? Como me deixar e ao mesmo tempo cuidar de 5 crianças, todas as tarefas da casa, e ser perguntado a qualquer momento? Além de não saber viver outra pessoa em mim.

Bidi: Mas isso não é questão de fazer viver uma outra pessoa. Quaisquer que sejam as obrigações e ocorrências, você fala sobre 5 filhos, você não vai abandoná-los ao seu destino  de qualquer maneira. Você não deve ter sido capaz de compor. Mas você deve, sem qualquer reticência, com total confiança deixar o Amor assumir.  O amor não é renunciar, e acho que no seu caso a luz não fez com que você desapareça. Assim como não ter filhos para criar, ou família para manter, já que as circunstâncias que você vive é exatamente o que está adaptado para você. Neste momento que você tem, diremos, um marido ou uma mulher o mais horrível que eles sejam, que você tem filhos pequenos, ou que você é totalmente livre, não faz nenhuma diferença, é a pessoa que acredita nisso. Enquanto você acha que está limitado por uma obrigação, por algo na tela do seu ordinário, de qualquer natureza, é porque você ainda não está adaptado à verdade. Então, é claro que já existem flutuações nesse estado de verdade. Você nota mais que tem momentos onde você está mais em alegria, mais em Amor, mais leve, e por um momento lhe parece até sem motivo externo de retornar aos hábitos. E os hábitos que foram reconfortantes antes, se tornam um peso, mas isso é normal. Não há anomalia, é a justa progressão da verdade, do Amor Nu, através da ilusão.  Até mesmo Cristo na cruz disse “meu pai porque você me abandonou”, mas ele nunca abandonou, nunca, nunca, assim como o amor nunca deixou você. Saiba bem que é sua pessoa que ele deixou. E lá não vá procurar por álibis de arcontes nem nada. Hoje a verdade é onipresente, seja qual for o estado do mundo.

E precisamente nós lhes dissemos, quanto mais o amor for revelado, mais o caos será amplificado. Você está apenas começando a perceber isso. Virá um momento, e também é o fim dos tempos, onde o amor não pode mais coexistir, ou mesmo ver, alguns elementos deste mundo, e isso está acontecendo para muitos de vocês. Sempre pensando e especialmente em situações, o mais difícil para a pessoa. Pense em se colocar de volta ao seu interior antes de qualquer outra coisa. Eu digo isso e repito, e Abba também, e o acólito também, nós temos que viver o que é para viver. Mas não ponha o entendimento ou o intelecto na frente dele, senão você nunca o viverá, e todas as circunstâncias de sua consciência agora, estão lá apenas para por isso em evidência. Não está muito no fogo, está tudo bem?

… risos…

Bidi: Então continuamos a queimar.


Como me estabilizar no coração do coração? Às vezes tudo é paz e alegria e amor, o topo da onda, depois o oco da onda. Eu levo minha mão para o fundo do meu coração e encontro a alegria que está sempre perto de mim, mas que ainda esta encoberto.

Bidi: Bem, agradeço a pergunta, porque você já deu a resposta ao mesmo tempo. Para ir até as profundezas de você, para desaparecer desse mundo no tempo de te reencontrar. E nesse momento você vê por si mesmo que a leveza está lá novamente. Mas se você jogar o jogo das ilusões primeiro você só pode estar com um humor temperamental, especialmente quando você viveu esses estados de amor tão intensos e tão verdadeiros. Assim que isso parece que vai embora, se torna uma tortura.

Bidi: Próxima pergunta.


Oi Bidi, somos várias pessoas que habitam o mesmo lugar de vida, que inclui estado de estase transitória e inconveniência física, que permanecemos no lugar no momento em que nos sentimos diluídos sem poder fazer nada. Fora do lugar de vida a consciência efêmera se torna normal, obrigado pela sua iluminação.

Bidi: Você vê que sempre caímos na mesma coisa. Você está em um lugar aparentemente em sua casa, como esta pessoa diz, você vive estados da consciência expansiva, você não está inconsciente que há memórias nas paredes das persistências. Então, você vive neste lugar em uma consciência expandida e você quer recuperar o efêmero, mas se você quer recuperar o efêmero como você diz do lado de fora, mas aí você vai descobrir que a consciência efêmera vai funcionar, mas que ela não te satisfaz mais de maneira alguma. Então aqui também você quer lidar com o que? Você quer combinar amor com a pessoa? Com o efêmero de novo e de novo? Isso não é mais possível. Vá até o final de sua transubstanciação, vá até o final de sua ressurreição, e a alegria estará lá o tempo todo. Mas se você ficar em um lugar, em sua casa e, claro nesses lugares viver essas experiências, os estados de amor, que literalmente impregnarão as paredes, e depois me perguntar como o efêmero pode se manifestar neste lugar interior onde você vive esses estados. Isso não é possível. Você já tem sua resposta também. Você mesmo diz, quando precisa sair, você recupera a consciência efêmera. Então, se é com isso que você está preocupado, bem, saia da sua casa, mas não espere finalizar a ressurreição para se juntar ao efêmero. Você deve ver quando eu digo que o amor te quer completamente, e não quer compartilhar nada, e especialmente não com o efêmero e com a ilusão. Porque vocês ainda são inumeráveis a pensar que com este Amor Nu ou essas experiências de consciência, você pode negociar com a pessoa ou o efêmero, mas você pode ver através das perguntas que isso não é mais possível.

Então o que você faz? O que você alimenta pelo seu olhar, pelos seus gestos, pelo seu comportamento? Pela suas vivências? Vá até o fim. Eu digo isso no preâmbulo, nada pode ficar diante do amor, e não se surpreenda depois, se você se perguntar sobre por que você vive esses estados no interior onde tudo está dissolvido. E onde ao mesmo tempo você quer ficar em algum lugar da pessoa. Todos os irmãos e irmãs que fazem perguntas, vivem efetivamente, de fato é a palavra que é usada, esses estados de estase. Como eu disse e repito, e isso já está acontecendo agora, você não pode se acomodar, você não pode mais negociar. Quanto mais intenso for o amor, mais intensa for a vivência do Amor Nu, menor é o espaço para qualquer vida neste mundo.  Tudo isso lhes tem sido preparado. Então, o que você decide? tentar novamente compor entre a pessoa? Então, claro, o resultado é que você ri de si mesmo e a alegria leva você, ou você luta, e você não verá o paradoxo, mas a lacuna que existe entre o efêmero e o que você vive em outro momento. Ambos são irreconciliáveis. Eles se afastam nós dissemos. E cada vez mais vai ser aquele Amor Nu, ou a pessoa. O Amor Nu ou as obrigações, o Amor Nu ou a moralidade. Você não pode fazer nada. Simplesmente você vive a estase para alguns antes da estase. É como se você estivesse voltando, não para a sua casa, mas para o interior desse corpo no coração do coração, você vive a estase, a íntase, o paraíso branco, a luz negra, a dissolução do corpo e da forma, e ao voltar você fica espantado por não poder trabalhar como antes, mas é impossível, e se tornará cada vez mais impossível. Quando te dissemos que o amor quer você em totalidade, não era um jogo de palavras. Você vê? É a estrita verdade.  Então, o que você faz com isso? O que você decide? O que você prefere? Mas, novamente, é um ou outro. Todos os seus irmãos e irmãs vivem momentos de estase. Você já passou o tempo zero. Todos os místicos lhes descreveram, quando você está neste fogo de amor, você só pode estar em alegria. Você não pode mais depender de qualquer ilusão, de qualquer consciência que esteja apenas passando, é por isso que chamamos de Amor Nu. E devo especificar que, no nível geral, o posicionamento dentro da pessoa se tornará cada vez mais desconfortável, não apenas para aqueles que estão acordados, mas para todos os seres humanos almas. Isto é precisamente o que sinaliza a eminência dos eventos. Portanto, não confronte nem contradiga a si mesmo. Você não pode mais manter a ilusão e viver a verdade. Toda minha intervenção hoje poderia ser resumida nisso, e tudo que você tem que viver só pode te mostrar isso. Enquanto você tiver preocupações legítimas dentro da pessoa, ela se torna totalmente ilegítima quando você vive o amor. É o que você vê, mesmo sem entender, mas garanto que você vai entender isso muito rapidamente.

Se apenas pelo fogo, pelas eventuais dissonâncias, que vão te fazer mal, mas não mal ao corpo, isso não é importante, mas mal a sua consciência. Podendo lhes fazer chegar a negar sua própria vivência do Amor. Porque mesmo que o seu sonho individual acabou, mesmo que você seja libertado da pessoa, livre da história. Parece-me que você ainda não está liberado deste mundo, está? Ele ainda está aí. Tranquilize-me, você sempre o vê. Isso não me tranquiliza, mas então. Mas você só pode constatá-lo. Então, o que você está fazendo neste caso?  Você não pode mais fazer meia volta. É atuar. Estamos repetindo desde o começo deste ano. Então você pode fazer um trocadilho dizendo que a eternidade é longa, especialmente no final, mas você ainda tem que estar ciente de que nunca teve um começo e que isso nunca houve um fim. Que existe o fim da pessoa, isso sim, o fim da história, isso sim. Mas você nunca se moveu. E que enquanto você não viu, viveu, aquele núcleo que nunca se moveu, que está justamente do outro lado, se posso dizer, da Presença Infinita ou da Presença Suprema, além Do coração do coração, e bem, você está andando em duas realidades, uma ilusória e uma verídica, mas mesmo abrangendo estas duas verdades, uma que passa e outra que é real, como você faz?

Existem apenas duas soluções, então não há retorno e possível volta. Ou você deixa a pessoa falar ou a história, ou você fica na verdade. Seja qual for o preço que você acha que tem que pagar. Nada pode ficar na frente do amor.  E se você não pode manter uma história, um personagem, um sofrimento, bem, você ainda não foi fundo o suficiente. Você não está banhado em sua totalidade, completamente lavado em seus vestidos, no coração do coração, na eternidade.  Hoje, a maneira mais direta, mais eficaz, mais transcendente de viver o amor é permanecer quieto, imóvel, não falo de meditar ou fechar os olhos, mas de estar permanentemente neste caso, como descrito por Hildegarde de Bingen, nesse tipo de tensão em direção ao abandono, todo o resto desaparece. Como você sabe que está nessa tensão em relação ao abandono? Você não precisa mais de uma imagem, e os sentidos mais sutis se revelam, que não são nem a imagem nem o som, mas o odor, o perfume.  Enquanto você sente que está queimando ou você sente a rosa, o odor é essencial, porque esse nível de olfato, OD, eu não vou lhes refazer o cinema do acólito, Od, a hora, entender bem na sua língua, é hora do Od, (em Francês: OD + heure= odeur, odor em português). E do outro lado de Od, o que é isso? o odor, a quintessência, não há nem mesmo a rosa, há apenas um perfume. É a essência mais sutil, não é visão, não é vibração, não é percepção. O único sentido que seja o mais sutil é o odor.  Porque quando você sente o odor místico, rosas, lírios, ou o que você quiser, ou mesmo a consumação do seu corpo que é na verdade frango grelhado, mas quando você toca seu perfume lá, você entra em estase, o odor, a essência da forma, o sentido da consciência, se você quiser, antes do desaparecimento, é o odor. Este é o sentido mais sutil, e vocês são muitos a sentirem esse odor, o perfume.  Hoje só posso te intimar, ainda estamos várias semanas depois do fim e da resolução da Anomalia Primária, o mais importante é o silêncio, o mais importante é o vazio, o mais importante é o desaparecimento, não pelo desaparecimento de sua vida fugindo dos problemas, mas voltando para dentro de você, não há nada mais simples, mas não há necessidade, nem de dinheiro, nem de condições prévias, e todos os irritantes em torno de você desaparecerão, assim que você voltar para seu interior. Eu não posso dizer melhor, deixe ir, viva isso.                                                                                        



____________________________________________________________


Mix4 - Final (em 06/08 às 11h)




Bidi: Seguiremos.


Vivência de uma irmã atual: acordei de noite com um sentimento particular, já não me sentia como pessoa, tinha desaparecido, meus irmãos e irmãs sendo cada um como um pensamento dentro de todos, eu vivia tão logo eu pensasse neles.

Bidi: É tudo?


Sim.

Bidi: É a verdade, e quando você volta disso, nós a chamamos de volta, mas é visto, essa é a única realidade, mas é claro que você só pode ver todos os que estão conectados, ligados, em  ressonância à este mundo, que está cada vez menos presente. A única verdade do que você experimentou esta noite, é que toda forma é resumida em uma essência, toda forma é resumida em um perfume, que é o limiar da percepção, depois não há nada. Há apenas a verdade e a nudez do amor. E vivendo isso, o que pode representar o peso dos anos, o peso dos problemas, nada de tudo. Você chega ao ponto, quer você goste ou não, ou você vai ter que descobrir, como eu disse nos meus últimos anos encarnados, que não há peso pior do que a própria consciência, mesmo a supraconsciência, até a consciência nua. A única verdade é aquela que nunca foi criada e nunca desaparece, e isso é anterior à consciência. Todo o resto, sem exceções, está apenas passando, e necessariamente desaparecerá, o que aparece não pode mais que desaparecer. O amor apareceu neste mundo, então este mundo desaparece. O amor não precisa de consciência. Você é amor antes de ser a consciência, seja ela qual for. Quando eu estava encarnado eu disse o tempo todo, a única diferença entre você e eu é que eu sei que sou Deus. Eu usei a palavra Deus na época porque eles não tinham outra conotação, mas use Absoluto, Parabrahman, escolha as palavras que você quiser, mas não é um conceito, é uma vivência real, e contanto que você não viva o peso da consciência, e até o peso das experiências que você tem vivido libertando os arquétipos.

Bem, me desculpe, você não terminou com o sonho, o sonho de você mesmo para já. Hoje vocês reconhecerão um ao outro e onde vocês verão como nossa irmã disse, o conjunto das consciências. É o último estrato para ver e viver que existe apenas uma consciência e que finalmente essa consciência que é UM, é apenas um peso, que sua consciência nunca pode aceitá-lo, e isso é normal, ela foi feito para isso, ela é uma limitação dentro de uma forma de amor. O amor é ilimitado. Não depende de uma forma ou dimensão, nem de um estado de ânimo, e muito menos do estado de um corpo, que em qualquer caso acabará em poeira, ou mesmo do seu corpo de eternidade. Você implantou em grande número o mecanismo da percepção, relacionou o que você chamou antes do impossível irreal, ou seja, além do sonho, o que é chamado de arquétipos, e você viu que o arquétipos também eram só conversa. Mas depois disso é hora de entrar na apercepção, no silêncio. Isso não impede você de se comunicar, testemunhar, trocar, mas quanto a você, onde é que você está? Agora que você atravessou por essas espécies de imagens espelhadas, essas franjas de interferências, essas zonas de difração de luz. Devemos voltar ao silêncio, devemos voltar à evidência, onde não há mais nenhuma visão, nenhum interior, nenhum coração, nenhum supra-sensível, nenhum outro. Além da percepção, além da consciência de si mesma. Você vai se dá conta, se não já foi feito, que a consciência é um peso. O último sacrifício, não o da ressurreição, mas da entrega total, só pode estar lá, não em outro lugar, e mais você se colocará nesta apercepção, nesta A-consciência, simplesmente pelo silêncio ou pela natureza se você quer, ou em casa, se você o vive em casa, mais o amor vai surgir completamente Nu. Dependente de nenhum personagem, de nenhuma história, de nenhum sofrimento, de nenhum calendário.

Eu não sei, para convidar um momento de fogo, um momento de comunhão, em certos momentos, chame de cura, alinhamento, mas isso não importa, mas para permanecer, em silêncio, em comunhão, você não precisa nem de vibração nem de percepção, nenhuma visão, nada, e neste silêncio você descobre que vai comer sem dificuldade alguma, todas as ilusões, mesmo as mais indigestas. Lembre-se de que a consciência crística unifica o coração, mas também unifica o pensamento. Além disso, nossa irmã neste sonho desta noite descreveu e viveu perfeitamente.

Bidi: Você pode continuar.


Meu caro Bidi, aqui estão três perguntas:
Primeira pergunta: Quando ouço você, sinto amor e alegria em meu coração. Eu não tive a oportunidade de fazer um estágio até agora, mas no final de abril de 2018, tive a chance de ter uma leitura em consciência, bem como uma fusão a eternidade com você e os efeitos foram aumentado dez vezes em relação ao ouvir as mensagens. Eu vivi a Paz Suprema, Shantinilaya. E me deu um…que é muito útil para acalmar minha mente e parar toda a percepção. Por que a leitura em consciência parou, sabendo que muitas pessoas não podem participar do curso por falta de espaço?

Bidi: E eu estou te dizendo que você está ao vivo lá, se isso ainda está acontecendo. Você não precisa mais disso. Mesmo as mensagens, mesmo em pré-registrado, doravante tem a mesma eficácia, a partir do momento que você não fica na sua cabeça tentando entender. Olhe para os irmãos e irmãs estrangeiros, eles não precisam entender as palavras que eu digo, eles sentem a essência, a vibração, estando na apercepção, na a-consciência. Claro que faço individualmente para iniciar um processo. Mas agora esses processos são feitos coletivamente, e o que você diz ter vivido através de uma leitura da consciência pessoal pode ser vivido a partir de agora, desde a suspensão de espelhos dos arquétipos, da mesma forma, até mesmo em pré-registrados momentos. Isso é o que você constata.  As coisas estão mudando muito rapidamente, eu te digo em alguns dias, talvez, vamos fazer o Satsang em silêncio, sem qualquer palavra. Esse é o caso, com o que é chamado o braseiro do amor, da vibração, para aqueles que vivem a vibração. A vibração toma vocês completamente, lhes sobrecarregam e vocês desaparecem. É a mesma coisa que a leitura da consciência individual. Você não precisa ver minha cabeça, você nem precisa de minhas palavras.  Eu poderia ficar calado, e você viveria a mesma coisa, quer dizer, a quintessência, a essência, o perfume, além de toda percepção, além de toda vibração e toda energia. Lá você toca a verdade suprema. E esses processos não são mais individuais. Eles até dizem respeito a humanos que nunca pensaram em nada além da vida neste mundo, que são totalmente ateus. Porque em alguns casos eles estão muito mais próximos da verdade do que aqueles que experimentam experiências extensivas. Tudo está unido. Nós dissemos que algumas linhas já estão se separando. Além disso, pela consciência de Cristo. Você está ligado não apenas pelo coração como foi dito, mas pelo pensamento, como no sonho anterior, pense nisso e isso é suficiente. Mas se você também não parar de pensar de forma interativa, eu não entendo, estou farto, eu sofro, eu isso, eu aquilo, bem, você perdeu a oportunidade, em todo caso, por enquanto.

Bidi: Seguiremos.


Segunda questão: Por que fazer as canalizações, mesmo ao vivo, sabendo que tudo já foi revelado, não seria melhor à presença de permanecer no silêncio das palavras e não esperar mais nada de você, ou de outro acólito.

Bidi: Mas eu espero que vocês não esperem nada de mim. Se você esperar por algo fora, você não entendeu nada. E agora quem vive a verdade, isto é, quem percebe que tudo é irreal, mas que mesmo assim ele está em todos os outros, o que ele está fazendo? Ele pode esperar muito tempo em silêncio. Foi necessário reunir um certo número de consciências. Tudo foi revelado, mas foi o suficiente para você libertar este mundo? Você pode saber tudo, você pode ter vivido tudo, mas você ainda está aí, e nós também. Então, o que fazemos? Se você pode realmente estar em silêncio, na apercepção e no amor, então, sim, não há necessidade de palavras. Então, sim, não há mais necessidade de canalizações. Eu nunca disse o contrário, mas se você o viu, então não faça essa pergunta, fique em silêncio e você será mais eficaz do que eu. Claro que não é questão de te revelar ainda a trama temporal, ou de contar histórias, não estou aqui mais para isso agora, nem ABBA, nem os acólitos, nem os outros ABBAS. Você é obrigado, não para agir neste mundo, mas para estar na verdade, mas você não pode permanecer na verdade, vendo o sofrimento, sem isto, lhe dirá que você é egoísta, que você não viu realmente e concretamente que todo o mundo está em você. Claro que não há questão de revelar mais nada, não há mais histórias, além disso, não poderia ser mais brutal, o que já dissemos desde o início deste ano não? É brutal para a consciência, é brutal para os sonhos, para as projeções. Vocês não estão no mesmo tempo daqueles em que prevaleciam na época em que eu estava encarnado. Você está em uma história coletiva que está chegando ao fim, que chegou ao fim. Então é necessário que essa apercepção e esse silêncio, como você diz, sejam vividos e compartilhados. Quanto a esse momento, todos vocês têm que ir para casa, para se colocarem na cama ao mesmo tempo, e terminou. Mas até que provem o contrário, como eu digo, você ainda está aí. Mesmo para os que desaparecem. Então, o que fazemos? Deixamos a inteligência da luz e continuamos a alimentar a ilusão de uma forma ou de outra? Ou estamos cientes do que eles estão vivendo, isto é, o fim da consciência ela mesma, e nos instalamos com felicidade, efetivamente, como você diz, em silêncio. Mas duvido que seu corpo ainda presente não manifeste um desejo. Nem todo mundo é Ma Ananda Moyi, não é? Esse desejo é simplesmente a manutenção do corpo, mesmo que não haja desejo, de vontade própria. Agora, se você acha que é mais eficaz no silêncio e na retração neste mundo, então faça-o, mas se você vive a verdade totalmente e não o conceito de silêncio, você só verá que tudo o que é consciência dentro do mundo de ilusão é uma tortura para você, porque o outro está em você, se você pensa em si mesmo, em sua consciência, na A-consciência. E todas as outras ilusões, onde elas estão? Tenha cuidado para não se tornar um egoísta da consciência. Existe apenas uma consciência, e o que você quer que isso aconteça ao mundo ou a outros mundos? Eu fui libertado, eu vivi o Absoluto encarnado, isso mudou o mundo? Não, e no entanto eu lhes digo que minhas palavras não podem falhar, sim agora, porque é um momento coletivo dentro da ilusão, e quando eu falo sobre o silêncio hoje, estou falando de silêncio conjunto, e nem todos em casa no canto. O mundo pode continuar assim por um longo tempo, nessa inércia. Quando você vive a verdade, você não pode deixar ninguém, em primeiro lugar que não há ninguém, mas depois essas pessoas se acreditam serem alguém e elas também estão em você. É real, é vivível, é vivido, é a única verdade. Estamos todos um no outro, sem exceção, o que quer que você viva sua liberdade, sozinho em seu canto, é uma vasta ilusão, uma grande fraude, é o orgulho espiritual. Vocês devem estar unidos em silêncio, se conectarem na liberdade, no amor.

Quantos erraram neste mundo, místicos que se retiraram para as cavernas, para o topo de uma montanha, para um mosteiro, para a santidade. Ah sim isso mudou o mundo. Você é vazio ou o que? Um vazio de consciência, então nós nem sequer falamos sobre a A-consciência. Não há ninguém, nós concordamos. Mas o que você está fazendo com os outros que estão em você e que continuam a sonhar? Vocês são um coletivo quer vocês queiram ou não. Vocês são todos sonhadores. Todos nós fomos sonhadores. E o processo que ocorre, eu acho que ficou claro por mais de 30 anos é um processo coletivo, o risco de acreditar viver isso sozinho, colocar-se em um pedestal, em uma superioridade, mas eu digo isso, desde que você não é, primeiro, o nada, você não pode viver o tudo. E viver o tudo, que traz de volta à consciência, mesmo quando você está nesta paz inefável, a realidade dos outros. Não é questão de ficar no topo de uma montanha sozinho.  É uma questão de amar, de servir mesmo através da ilusão. Mas na verdade hoje eu falo com você do silêncio, mas esse silêncio você o faz 24 horas por dia. Você faz isso por dentro. Para já, o silêncio dos pensamentos, das questões, das ideias, esvaziar-se para se preencher. Mas quando você se preenche com esse amor, você só pode ver todas as outras ilusões, e o que você diz, não há ninguém, nunca há ninguém, nunca houve ninguém. Ele está em uma torre de marfim. Ele se coloca fora deles, em vez de se colocar no centro deles. Você tem personagens que hoje são muito fortes para lhes falar, mas eles falam com você de onde? Do seu interior? Ou eles te falam do alto? Onde está a humildade aí? Onde está a verdade? Onde está a alegria inefável? O silêncio se torna ação, sim, mas o silêncio coletivo, não mais o silêncio de um ou poucos. Não há eficácia neste silêncio, nenhuma. Eu falo no coletivo, desde que vocês são todos um, e nós somos todos um. Mas ainda devemos viver isso. Isso não é um conceito, não é uma crença, não é um objetivo.

Bidi: Seguinte questão.


Você nos diz para servir os outros em primeiro lugar, e ao mesmo tempo em que não somos salvadores, temos que cuidar de nós mesmos, a fim de nos tornarmos novamente absolutos, irradiar o amor ao nosso redor e acolher os outros em nosso coração. Por exemplo, eu dava cuidados, pela imposição de mãos e shiatsu, e parei porque precisamente não sou um salvador. Você poderia, portanto, redefinir a noção de serviço para com o outro?

Bidi: Mas para servir ao outro, em primeiro lugar, perceber que ele está em você, ele não está fora. Contanto que você não tenha experimentado isso, que você diga isso, ou que você pare qualquer coisa, você sempre será um salvador. Comer o outro e viver nele não é salvá-lo. Ou você vê uma noção de salvadores lá? Não confunda tudo. Não há salvos, não há salvadores. Existe apenas uma consciência. Uma só e única, aumentada ao infinito. Então você não pode ser um salvador de ninguém. Você só pode vê-lo. Esta é a frase mais importante que ABBA lhe disse,” Eu vejo você”. Quando você vê o outro, ele é comido, ele é absorvido, ele é reconhecido. Não há diferença, então não há salvador. Quando você vê o outro, ele é comido, ele é absorvido, ele é reconhecido. Não há diferença, então não há salvador nem salvado.

Ainda é uma visão dual, inscrita em um personagem, em uma pessoa, em uma história e absolutamente não na verdade. As palavras te traem totalmente. Você não precisa cuidar de ninguém, e muito menos de você ou do outro. Você precisa se preocupar com amor. Você não vai conseguir nada como pessoa, até mesmo parar o que quiser. Você chegará a algo reconhecendo todos os outros dentro de você, todas as dimensões dentro de você. Você não tem que viver um por um, é um pacote global. E para isso devemos desaparecer, devemos nos sacrificar, e não acreditar que você está indo para um desenvolvimento pessoal. Isso ainda é uma resistência clara, ainda é nova era, ainda é projeções. É tudo menos amor. Amar é acolher o outro. E ver que ele não é diferente de você e que ele é você. Não é um conceito, é uma experiência vivida. E enquanto você fizer a diferença entre aquele que acredita ser salvo e aquele que é salvador, você não entendeu nada e especialmente você não viveu. Quando lhes foi dito para comer o outro, para absorver o outro, é um fato real e concreto. Os acólitos mostraram para você, ABBA mostrou para você, você mostra entre vocês mesmos. Todo o resto é na verdade cinema, são conceitos, são ideias, são pensamentos. Mas enquanto não for vivido, é inútil. Você pode dizer em todas as religiões, amar uns aos outros, ou a lei de darma, ou o que você quiser em toda religião e todo movimento. Você não está na verdade. A verdade é entender, não pelo intelecto, mas vivendo-o, que o outro é realmente você. Então aí não pode haver salvadores e salvos, ainda se está colocando uma distância, ainda se está colocando uma separação. Você não pode estar na espontaneidade do coração assim. Ame primeiro, e você verá o que acontece, mas não coloque o conceito antes ou compreendendo antes. Você não viverá nada. Ou você passará pelas margens das interferências em todas as histórias pelas quais você passou, quebrando os arquétipos e continuando repetidas vezes, e você não voltará ao estado original, dessa forma. E quando falamos de silêncio, é o silêncio da pessoa, a tranquilidade da pessoa, que permite que o amor seja. É essa vacuidade que ocupa todo o lugar, todo o espaço,  todo o tempo. E quanto mais os dias e as horas passarem, mais isso vai bater na porta com uma insistência terrível, onde todos os conceitos como esse de salvadores, salvados, serão varridos, pulverizados, pelo Amor. Não use o amor que você vive para algo diferente do amor, …a verdade e o amor Nu, nem coloque conceitos, nem ponha projeções, nem coloque nenhuma visão. Ela se tornará cada vez mais aguda, cada vez mais incisiva, cada vez mais real, tudo o que estará na frente, os conceitos, as idéias, as histórias, serão pulverizadas. Este já é o caso.

Bidi: Você pode continuar se você tiver tempo.


Temos 10 minutos, não há mais perguntas escritas no momento.

Bidi: Quem vai falar?


Alguém aparece. “Na selva, selva terrível, Bidi está morto esta noite, baram, baram ..,” (O irmão fez aqui uma paródia com uma música conhecida, abaixo segue seu testemunho.)
Foi uma experiência que eu experimentei uma noite atrás, onde tudo desapareceu e eu estava sozinho e não tinha mais nada, e desde então minha atenção está focada nessa coisa que é tão maravilhosa e ao mesmo tempo tão insignificante, o corpo se alonga e relaxa, as emoções passam e desaparecem e a vida se torna simples e aqui está o fim do testemunho.

Bidi: Eu te agradeço.  Sim, o amor é simples, a verdade é simples. São os conceitos que são árduos, são as palavras. Quando você derruba os últimos véus, você só pode rir de antes. E o amor é uma risada permanente, ou como você diz que as emoções podem passar, o mundo pode passar, seu corpo pode passar, mas você não se identifica mais com tudo isso. De fato, não há peso, essa é a liberdade interior. Qual foi a música que foi cantada?


”Na selva, selva terrível, Bidi morreu hoje à noite.”.. risos..

Bidi: De acordo. E Bidi já está morto, então não arrisca nada.


... Risos...

Bidi: São vocês quem ainda não estão mortos. E quando você se aproxima da morte, como o nosso irmão diz, você só pode rir de si mesmo, rir de toda a sua postura, todas as suas crenças, todas as suas experiências, tudo aquilo que lhes prendiam finalmente.  O amor não pode prender nada. É a forma que prende você, a sensação de ser uma pessoa, ou ser algo, uma alma, uma mente separada, há apenas um espírito, existe apenas uma consciência e até mesmo essa consciência e esse espírito são uma ilusão. É uma grande liberdade para vivê-lo, não há outro.

Então eu acho que o tempo está quase acabando, eu lhes rendo graças nos últimos cinco minutos, até porque de qualquer maneira nos encontraremos aqui dentro de uma hora, isso?

Então, obrigado por ter escutado todas as minhas palavras e, claro, eu estou em você, não apenas agora, mas tudo está em vocês, o tempo todo. Então não sonhem em ser uma pessoa que irá evoluir ou se transformar. Tome consciência pela A-consciência, pela apercepção de que tudo está aí, no coração, mas realmente e concretamente.

Não há dimensão em outro lugar, não há deus em outro lugar, não há arcontes em outro lugar, todo isso é do cinema, decoração. Eu disse isso na hora da refutação, primeiro vocês são os espectadores que veem a cena do teatro, vocês acreditam que tem um teatro. Você espera pela cena final, então por um momento você se enche, sai do teatro e o que está acontecendo? Nunca houve um ator, nunca houve observadores, e o pior é que nunca houve um teatro. Não é um conceito, é a primeira e única verdade, eu te deixo com estas palavras, Bidi te agradece.


Obrigado Bidi ( aplausos)…



 ***
 

Tradutor: Alberto Cesar Freitas
(Aproveitando e substituindo a tradução inicialmente publicada)


____________________________________________________________


Créditos da tradução substituída :


Fonte da Transcrição do Francês:
https://www.youtube.com/channel/UCifapMVrcNTbUI8ID_xdokw/videos

Base da Tradução para o Português: Tradutor Google
Traduzido por Francisca dos Reis

____________________________________________________________







PDF (Link para download) : Bidi1-01/Julho/2018 

9 comentários:

  1. Esta postagem foi baseada somente na transcrição do Youtube e na tradução Google, deixando para fazer ajustes a posteriori; sobretudo propostos por eventuais revisores.

    ResponderExcluir
  2. Instruçoes simles de Como fazer o acolhimento - portugues e espanhol

    Joselito joselito.Facebook.por jean luc ayon

    Ola a todos..

    ResponderExcluir
  3. A opção pela coluna de horários, é para facilitar a leitura, mesmo sem usar o vídeo. Também para facilitar o trabalho de revisões, correções e outras operacionalidades no trabalho de edição do texto. No primeiro momento a ideia era suprimir essa coluna, mas na prática ela se tornou útil e funcional. Talvez peque pela forma, onde uns preferem, outros não... mas aí já é coisa de dualidade (rs)...

    ResponderExcluir
  4. Se me permite fazer a correção:00:07 - Benyamine está lá com você e estamos nus

    BEM,BIDI está com você e estamos nús
    Parabenizo pela iniciativa,muito boa dá para entender perfeitamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato pela colaboração, Unknown !

      Essa sua correção acaba de ser efetivada (efetuada).

      Tais apontamentos de correções serão sempre muito bem acolhidos.

      Grato também pelo feedback quanto à inteligibilidade do texto.

      Excluir
  5. Esse processo de tradução com base na transcrição Youtube, tem sido feito pela Francisca, exclusivamente (100%), que cada vez mais sente um melhor fluir do próprio trabalho, bem como causando benefícios novos para ela própria. Esta tradução Bidi1 ainda terá a revisão específica da Francisca, onde alguns ajustes significativos certamente conseguirão ser realizados. Nesta 2ª tradução Google, a opção ainda foi publicar com ajuste zero (como teste).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa revisão pendente da Francisca acaba de ser efetuada.

      Excluir
  6. Alberto Cesar Freitas, Gratidão, além das palavras !!!

    Suas traduções, nessa reta final, é um presente extraordinário...

    ResponderExcluir
  7. então, vejo
    Nunca houve um ator, nunca houve observadores, e o pior é que nunca houve um teatro.
    Grato Alberto Cezar e Francisca
    Rendo Graças

    ResponderExcluir