O.M. Aïvanhov - Parte 2 - Q/R - Maio 2017


O.M. Aïvanhov - Parte 2 - Q/R - MAIO 2017
Mensagem de 06 de maio de 2017 (publicada em 24 de maio)
Origem francesa – recebida do site Les Transformations


 
Áudio da Leitura da Mensagem em Português - por Noemia
Clique aqui para fazer o download do áudio


Bem, agora que sua pausa está terminada nós vamos continuar, se vocês quiserem, a trocar. Então, de novo, eu o escuto.

Questão: eu tenho um amigo acupunturista, muito ligado, que trabalha num nível muito elevado e que está muito conectado. Quando o acupunturista coloca suas agulhas sobre o meridiano do órgão doente, ele pode em função de seu nível associar seu trabalho ao gênio desse órgão doente?

Eu não compreendi nada. Eu ouvi tudo, mas não compreendi nada. Quem coloca a questão? O médico, o amigo do médico, eu não compreendi nada.

Questão: uma amiga deste acupunturista.

Ela pergunta se durante o ato da acupuntura, é possível e permitido chamar os gênios das vísceras. É isso? Que isso foi dado um pouco, certo?

Evidentemente não é unicamente porque é uma agulha, é valido para todo terapeuta qualquer que seja, que ele faça medicina normal, prescrevendo uma medicação, há sempre uma interação que se produz entre um terapeuta e um paciente, que é função, evidentemente, do nível ou estado da consciência de cada um dos dois. E não especificamente a acupuntura, a mesma coisa pode ser obtida com a mão, como com uma cirurgia, qualquer que seja. Mesmo nos eventos muito materiais, o mais importante é efetivamente o nível de consciência. Não é específica a acupuntura, é preciso não crer nisso, está presente em todos os setores de toda interação humana.

Há coisas que são observáveis, as palavras, a fisionomia, as expressões, o ato terapêutico, na ocorrência aqui, também, mas há outra coisa que intervém e que está efetivamente diretamente ligada à consciência do terapeuta, como também do paciente, se eu posso dizer. Os dois são possíveis. Agora é completamente possível chamar o gênio do órgão em relação ao meridiano que é tratado, que isso seja pelo terapeuta ou pelo paciente, mas não faço em relação a essa questão. Qual é a pergunta finalmente? É simplesmente saber se podemos chamar um gênio durante uma sessão de acupuntura?


Questão: sim.

A resposta é sim, é claro, mas não é específica da acupuntura. Eu não compreendo o discurso que foi feito sobre o terapeuta excepcional, genial, isso parece muito, mesmo assim. Ou então há uma adoração sem fim desta pessoa em relação ao seu agulhador preferido. Aí está todo simbolismo da penetração que está ativa aí. A penetração da agulha, isso reenvia à psicanálise. Bom, foi uma piada, mas... Então podemos continuar.


Questão: os formigamentos importantes e contínuos do corpo, à esquerda, mão e pé, são também sinais do Coração Ascensional?

É antes de tudo um sinal da vibração. Mas, efetivamente, os mecanismos de dormências e formigamentos, vibração, calor, pressão, são agora, vocês sabem, cada vez mais constantes no nível de seus corpos, que isso seja no nível das Portas, no nível das extremidades, os calafrios também, que vocês chamam de frio, mesmo que vocês tenham realmente frio. Vocês verão que eles ocorrerão, se vocês tiverem até no verão, mesmo em pleno verão com 40 graus. Vocês tremerão, é normal porque sua estrutura que está a cavalo agora entre a estrutura de 3D de carbono e a estrutura sílica, porque o corpo de Existência está aí, cria uma espécie de alquimia onde a percepção de seus limites corporais e suas sensações puramente sensoriais estão profundamente diferentes.

Então tiveram as dores sobre as Portas, as vibrações sobre as Portas, as Coroas, vocês se transformam agora em órgãos sensíveis. O conjunto de seu corpo é um órgão de ressonância com a Luz pela sobreposição do efêmero e do Eterno, tal como nós temos empregado essa palavra frequentemente, ou se vocês preferem, a sobreposição dos corpos efêmeros e do corpo de Existência. Tudo isso dá lugar às manifestações do corpo, no nível da percepção do corpo, por fenômenos, como eu já disse, de formigamento, de calor, de calafrio de frio, de pressão, por exemplo, pelas Teofanias, no nível do peito, que são completamente normais.

Então está ligado, é claro, aos processos em curso. Não é necessariamente o Coração Ascensional, é por isso que eu desenvolvi, isso pode estar simplesmente ligado ao ajustamento, sem, portanto, que isto esteja ligado à atividade do Lemniscato sagrado ou à colocação em funcionamento do Coração Ascensional pelo Fogo Ígneo. É independente, mas isso pode ser conjunto. Mas não é por isso que vocês têm os formigamentos, caso vocês sintam o que acontece em seu peito, no nível percepção, sentir, nesse momento, vocês não podem falar de Coração Ascensional. Por isso que, mesmo aqueles entre os irmãos e as irmãs que se abrem neste período desde 8 de março, sem jamais ter tido nem interesse, nem informação do que acontece durante este período, descrevem os mesmo termos, essas pressões, esta transfixação do coração, esta abertura sem fim do coração. São exatamente os mesmos mecanismos que estão trabalhando, que correspondem precisamente ao Coração Ascensional e, então, à ignição da Merkabah interdimensional pessoal.

Ao contrário, os fenômenos vibratórios são eles o testemunho, sobretudo, do ajustamento entre o corpo de Existência e os corpos efêmeros, isso sim, mas não é necessariamente a tradução da colocação em trabalho do Coração Ascensional porque aí, a percepção está situada no centro diretamente e, sobretudo, o estado da consciência não deixa nenhuma dúvida sobre a vivência nesse momento, mesmo que não haja palavras para expressar isso.

Então a resposta, sim está ligada às vibrações e ao estado atual, não está necessariamente ligada ao Coração Ascensional. Se os formigamentos que estão descritos, pé esquerdo e mão esquerda estão também acompanhados – em outros momentos ou ao mesmo tempo, pouco importa – desta sensação do coração e da consciência, então nesse momento sim, estão ligados ao Coração Ascensional.

Eu lembro vocês que a atividade e a ativação das Portas têm dado, vocês têm vivido durante esses anos (para aqueles que a viveram), às vezes dores, as vibrações, ou as dores sobre as próprias Portas. Aí agora, esses fenômenos periféricos traduzem o que eu disse. E agora, se vocês têm essa percepção, independentemente de seus estados anteriores de experiência ou de vibração, caso vocês sintam que sua consciência se modifica e que está ligada a essa percepção de alguma coisa, mesmo que vocês não cheguem a colocar em palavras, o que acontece no interior de seu peito entre a face anterior, aqui, e entre as omoplatas atrás, é que vocês vivem o Coração Ascensional mesmo que vocês não tenham palavras ou explicações a fornecer, em particular pelos últimos chegados que são os primeiros, eu lembro vocês.


Questão: a variação da intensidade dos sons pode ser considerada como um chamado a se colocar?

É claro. Vocês reparam este período desde que as Ressonâncias novas começaram e desde as Teofanias, que vocês têm frequência nos ouvidos que ao mesmo tempo se tornam mais agudas, então não é unicamente uma questão de intensidade, isso se torna mais cristalino, caso vocês queiram, mas efetivamente a intensidade sobe também. É um chamado da Luz e frequentemente vocês reparam que se vocês têm essas modificações de percepção dos sons nos ouvidos que se tornam mais intensos e mais agudos, isso se produz à tarde e é uma forma de reminiscência das Teofanias que são realizadas às quintas-feiras à noite, que se produz agora a cada dia. Eu penso que Maria desenvolverá isso um pouco mais tarde depois de mim. 


Questão: um sonho permaneceu depois de muitas dezenas de anos. Eu via uma ilha luminosa e branca. Ela irradiava um imenso amor e eu tinha apenas um desejo, encontrá-la, e eu não podia. Eu me despertava com esse imenso amor no coração, me perguntando onde podia ser.

No Sol. É o corpo de Existência que foi aprisionado no Sol.


Questão: ...depois, eu penso tê-la encontrado em mim. Obrigado OMA, por tudo.

É um testemunho mais do que um sonho, completamente. Efetivamente, há diversas dezenas de anos vocês podiam ter os sonhos mais fantásticos e as experiências as mais fantásticas, era muito difícil poder manter este estado de Infinita Presença ou ainda de Liberado Vivo. Vocês sabem que havia muito poucos Liberados Vivos que percorreram até tempos recentes a superfície desta terra, é claro, mas agora vocês são inumeráveis a estarem liberados vivos, mesmo sem saber o que é, é isso que é maravilhoso, mas vocês têm encontrado, como eu disse, por aqueles irmãos e irmãs que nos encontram agora, a Verdade – e não há senão uma, vocês sabem. E quando vocês encontram a Verdade todo o resto lhes parece totalmente inútil e insensato.

Então é efetivamente uma transcendência total e imediata da personalidade em direção à Existência com a dissolução da personalidade, que não passaram, os últimos a chegarem, por todos os esquemas que nós temos explicado desde os Casamentos Celestes. E isso se produziu, e isso se produzirá cada dia mais e mais. E vocês irão observar isso mesmo ao redor de vocês, mesmo entre os irmãos e as irmãs que lhes parecem, como dizer, obtusos ou mesmo fechados. Isso é a Graça, isso é a Teofania. É a antecâmara, se vocês preferem, do Juramento e da Promessa, e da estase. Aliás, alguns que colocaram questões, começam a desaparecer como se estivessem nas mini-estases, eu creio que tivemos isso há pouco nos sonhos ou nos testemunhos. 


Questão: há vinte anos, no momento de dormir, eu senti meu corpo vibrar e me senti partir a uma velocidade vertiginosa. Uma voz do lado esquerdo me disse para respirar calmamente, e eu me abandonei. Em meu retorno, meus ouvidos estavam bizarros, como quando da passagem de um trem num túnel. Eu estava muito calmo e sentia um grande bem-estar. O que você pode me dizer?

Em todas as vezes, seguramente, isso se chama uma viagem astral. O fenômeno do ribombar da vibração, o som nos ouvidos parte como um foguete a toda velocidade, seja pela cabeça, seja pelos pés, é típico da experiência chamada fora do corpo, quer dizer, a saída astral. Eis o que eu posso dizer. Mas todas essas coisas que foram perfeitamente descritas por aqueles que eram capazes, antes dos Casamentos Celestes, de fazer espontaneamente ou com os exercícios essas viagens astrais... Vocês sabem que hoje não tem mais viagem astral, é uma saída na Existência que se produz, então o processo é um pouco diferente. Mas se isso tem muitas dezenas de anos, efetivamente está ligada a uma descorporificação, tão simplesmente.

E efetivamente, quando vocês fazem uma descorporificação espontânea sem ter procurado, sem ter praticado uma técnica e isso lhes cai encima, se podemos dizer, antes dos Casamentos Celestes, vocês tiveram sempre um ser de Luz que estava à sua esquerda que lhes dizia para respirar, para não ter medo, que lhes chamavam pelo primeiro nome para lhes assegurar. Porque havia uma possibilidade, enquanto nós não podíamos entrar em contato com vocês, diretamente pelo coração ou Canal Mariano, ou pelos fenômenos que vocês chamam canalizações, com abertura dos chacras do alto e do chacra do coração, era sempre possível, quando da saída ou da elevação vibratória, se vocês preferem, no astral de captar as vozes dos seres de Luz, efetivamente, do lado esquerdo, no nível da orelha esquerda, é claro, não da direita.

Significa que já algumas dezenas de anos, a viagem astral era possível, mas já havia certa permeabilidade. Eu lembro vocês que a impermeabilidade das camadas isolantes foi rompida pelas primeiras radiações vindas de Sírius e que foram em agostos de 1984. A partir deste momento, as regras da descorporificação ou saída astral se modificaram um pouco, devido à interpenetração da Luz no nível já do mundo mental e astral, e não ainda causal na época, hein. O causal, se vocês quiserem, corresponde à heliosfera, quer dizer, à camada isolante, a mais externa. Mas as perturbações magnetosféricas, a camada intermediária – não é a última camada etérica, quer dizer a ionosfera, tal como vocês a vivem agora -, estava já infiltrada, se eu posso dizer, pela Luz autêntica. Então os processos de descorporificação foram modificados progressivamente pelos mantenedores ou os experienciadores dessas experiências, desses estados, havia alguma coisa que se produzia, que era diferente. Mas o que você descreveu aí, nesse testemunho, esse sonho e esse retorno para a consciência, é a verdadeira viagem astral, tal como era possível fazê-la há alguns anos.


Questão: se eu compreendi bem, os irmãos e as irmãs falecidos preparam o terreno com impaciência...

Não, o terreno está preparado. Eles esperam com impaciência o Apelo de Maria, mas a preparação, ela está terminada já desde numerosos anos. Há alguns que começam a se chatear um pouco, se eu posso dizer. Mas eu não detalharei qual é esta preparação porque vocês não estão todos envolvidos com isso e eu não vejo no que isso lhe serviria.


Questão: obrigado.

De nada, eu não respondi nada.


Questão: eu pedi à Luz para encontrar alguém para fazer os trabalhos na minha casa que tem grande necessidade. Um pintor me propôs de pintar o exterior. Depois da reflexão e resposta do coração eu recusei, isso me pareceu inútil neste período, mas ele insistiu tanto que eu aceitei.

Então aí, caro amigo, é um pouco contraditório o que conta esta pessoa, ou esse irmão. Ela chama a Luz para pedir os trabalhos, um pintor chega e ela o deixa de fora dizendo que não é mais o momento. Mas ela é fada ou o que?


Questão: ...eu não compreendo o que aconteceu, como se tudo se desenrolasse contra a minha vontade, sobretudo nestes tempos reduzidos. Eu lutei e eu tive dificuldades para permanecer estabilizado durante o período dos trabalhos.

Eu não compreendi a última frase. Os trabalhos foram feitos ou não?


Questão: sim.
Eu não compreendo nada.

Ela aceitou finalmente; felizmente porque ela que pede à Luz alguma coisa, e depois ela recusa, sob o pretexto de que não há mais tempo. Isso é o erro fundamental que vocês têm feito, a maior parte desde já, mesmo não em 2012, antes, e eu preveni vocês em 2012 e em 2011. Lembrem-se, no último trimestre de 2012 eu havia dito que aqueles que tinham tomado um empréstimo ou comprado uma Ferrari pensando escapar do empréstimo ou do imposto, iriam ter grandes surpresas. Hoje é a mesma coisa, não deixe para amanhã o que você pode fazer, sob o pretexto de que é o fim do mundo ou fim dos tempos; isso não tem nenhuma espécie de importância.

Você deve continuar a viver como se cada dia fosse o último, para estar no instante presente. Desde o instante em que você pensa ou você se refere à sua problemática, que isso seja pintura, compra de carro, divórcio ou o que vocês quiserem, sob o pretexto vocês se dizem “ah, que bom, vejo os tempos reduzidos”, vocês estão no erro e vocês estão na negligência. É necessário ficarem vivos, se eu posso dizer, até o último minuto. Porque é que vocês se privam e porque vocês se dedicam às coisas em relação a um evento, qualquer que seja? Estar no instante não é depender do instante seguinte, sobretudo aí. Esse irmão ou essa irmã chama a Luz, ela envia alguém para fazer os trabalhos que insiste e de início ela não quer fazer. Então agora o inconveniente com os trabalhos, isso me parece normal. Isso era em relação a que inconveniente? A última frase eu não compreendi.


Questão: “eu não compreendo o que aconteceu, como se tudo se desenrolasse contra a minha vontade”.

Então, essa aí, ela não é banal, esta frase.


Questão: sobretudo nestes tempos reduzidos...

Sobretudo nestes tempos reduzidos, isso eu expliquei, mas a frase que você acabou de pronunciar, eu não compreendo o que ela faz aí dentro, porque ela própria disse, ou disse ela mesma que havia chamado a Luz para lhe enviar alguém. 


Questão: e ela disse: “depois da reflexão e resposta do coração, eu recusei, isso me parecia inútil neste período”.

Então aí, estamos bem de acordo, é um erro de posicionamento manifesto. Como é que podemos pedir alguma coisa à Luz, e a Luz responde, e depois dizer: “não, finalmente eu refleti, finalmente já não é preciso”. O problema está aí, não em outros lugares. Vocês pedem alguma coisa à Luz, a Luz lhes responde por sua Inteligência, pela Graça, pelos reencontros, pelas intuições, para isso que vocês querem, pelos sonhos. E depois vocês dizem “não, não, após minha resposta do coração...”, vocês pedem outra coisa e vocês próprios rompem o seu pedido que foi cumprido. É ainda assim surpreendente, independentemente da noção de tempos reduzidos.

Vocês não podem pedir à Luz tal coisa, e em seguida recusar as consequências do que vocês pediram. Vocês sabem o que eu quero dizer através do que está apresentado aí? Se vocês pedem à Luz, vocês não têm necessidade nem de reflexão, nem de resposta do coração, sobretudo como está apresentado. É como se vocês fossem ver, eu sei não eu, três advogados, os três advogados lhes dirão três coisas diferentes.Vocês irão ver três médicos, vocês terão três opiniões diferentes, vocês verão três irmãos e irmãs, vocês terão três opiniões diferentes. Mas quando vocês pedem à Luz, e a opinião de outro ou de seu coração, ou de sua reflexão é importante? É muito ambivalente, está no limite, eu diria, de certa forma de... como vocês dizem, de duplicidade em algum lugar.

Quando vocês pedem alguma coisa à Luz, o que quer que vocês peçam, que isso seja para ter o que comer, para encontrar um namorado ou uma namorada, que isso seja para mudar, se depois, alguma coisa lhes cai encima, aí é o pintor, mas isso poderia ser uma oferta de casa, ou um encontro amoroso, depois vocês irão interferir com sua pessoa para perguntar se é a resposta do coração, se é bom? Mas isso mostra o que? Isso mostra uma duplicidade, ou no mínimo uma dualidade inscrita no funcionamento desse irmão ou dessa irmã que não tem sido visto. Mesmo na maneira à qual são formuladas as palavras.Vocês veem a antinomia entre “pedir à Luz” e “ir ao encontro de minha vontade”? Quando vocês pedem à Luz, sua vontade, ela não tem mais razão de ser, sem isso vocês não compreenderam nada da própria Graça e a ação da Luz.

Meditem, enfim meditem, reflitam bem, sim é o caso de dizer, nisso que vocês pedem à Luz, mas depois não façam trabalhar a dualidade ou a reflexão, ou pedir ao seu coração. Vejam o que há por detrás da necessidade de ponderar entre o bem, o mal, a noção temporal, qualquer uma que está inscrita no tempo e que age no presente em função do tempo. Se vocês fazem isso, vocês estão fritos. Eu expliquei para 2012, há alguns minutos. Eu repeti mesmo já em 2011 porque havia quem esperasse isso para 2011. Então estejam vocês confiantes na Luz, mas não venham reclamar depois, se fazendo interferir sua vontade, sua resposta do coração, seu pêndulo ou sua radiestesia, ou o que vocês quiserem, ou outra opinião, não venham se queixar depois. Onde está sua fé ou o seu Abandono à Luz aí dentro? Isso não é uma crítica, é justamente para atrair sua atenção sobre os comportamentos ou as atitudes que vocês têm.

Se vocês adiam um tratamento, alguma coisa, sob pretexto de que é o fim... enquanto vocês não tiveram o Apelo de Maria, vivam. Preparem-se interiormente, mas se o exterior tem necessidade de ser organizado de uma maneira ou de outra, peçam à Luz, mas não vão depois hesitar ou dizer: “não é isso”. A Luz saberá melhor que vocês e melhor do que sua vontade e que sua reflexão, eu diria mesmo, melhor do que sua resposta do coração que eu havia, portanto, detalhado há três anos. A resposta do coração, vocês sabem, eu expliquei isso pelos alimentos. Eu tomei o exemplo: vocês querem comer um pepino e vocês voltam com uma salada porque seu coração... aí sim. Mas se vocês pedem à Luz, o que é que vai acontecer? Vocês irão ter o pepino que vai chegar a vocês, e vocês, vocês dizem “não, eu quero comer uma alface”. É o mesmo princípio.

Ou vocês estão de acordo com o seu coração, ou vocês estão de acordo com a Luz, mas não metam a reflexão ou uma interrogação em termos de dualidade, ou binária sim-não. Isso é válido para uma decisão, mas se vocês pediram à Luz antes, o que é que vocês irão pedir ao seu coração? Porque vocês pediram à sua Eternidade para agir. Aí nesse momento, há um risco de errar, o que é o caso, porque aí, ela pediu à Luz um trabalhador ou uma empresa para fazer os trabalhos – que tinha grande necessidade, e isso foi dito hein, eu não inventei as palavras -, e esses trabalhos foram feitos, mas ela estava reticente. Como vocês podem pedir alguma coisa à Luz, e depois expressar qualquer resposta de sua pessoa, ou em função do tempo? Porque se vocês começam a viver em função dos prazos, mesmo que estejam agora iminentes, incessantes, vocês paralisam tudo.

Salvo, é claro, nos momentos onde a Luz lhes chama ou lhes ordena parar, porque os sons sobem, porque a pressão do coração é tão forte ou as energias são tão poderosas, que aí vocês são obrigados a se submeter. Mas nos chamados que colocam vocês mesmos na Luz, vocês só podem se submeter, sem isso, vocês veem um pouco o problema? É um problema de consciência, não é um problema de fazer os trabalhos ou de não fazer os trabalhos, ou de estar incomodado durante os trabalhos, ou de recusar a Luz, ou de aceitar a Luz. Uma vez que é feito, é feito.

Se junta a isso também esta noção de sacrifício. Vocês aceitam entregar seu Espírito entre as mãos da Fonte, da Luz, ou não. Mas vocês não podem colocar a mão e retirá-la depois. Definitivamente aí, vocês mostram o que? É semelhante para as fraturas, as dores do lado direito, ou sobre os locais de passagem. Os problemas no ombro, a tireoide e eu não sei, tudo o toca a perna direita, por exemplo, isso lhes envia a isso: vocês seguem seu coração, vocês seguem a Luz, vocês tentam estar liberados, e há em alguma parte em vocês, de maneira inconsciente, mas é necessário conscientizar hoje que vocês estão na vontade de controlar a Luz – para o seu proveito pessoal, não pela Luz.

E é isso que vai explodi-los... que já explodiu na cara, mesmo dos irmãos e irmãs que estão aqui presentes. Vocês não podem colocar qualquer vontade pessoal ou reflexão pessoal em face da Luz. Vocês são Luz ou vocês são a reflexão, mas vocês não podem ser um dia a Luz e amanhã não, se servir da Luz para os seus proveitos pessoais. Sem isso, isso leva às consequências particulares ainda assim. Eu lhes disse no preâmbulo, agora é um ou outro, não há mais cadeira, não há mais escolhas, não há mais atribuição. Tudo isso está no fim. O que vocês vivem é o resultado, não de sua vida, mas o resultado de todas as suas encarnações – não é cármico – e o resultado também de sua Eternidade. São esses dois que se reencontram e vocês não podem mais utilizar a Luz a seu serviço enquanto pessoa.

Então se vocês fazem um pedido à Luz para sua pessoa, para seu local, pelo marido, pela mulher, vocês não podem em outro momento recusar a Luz que vocês chamaram ou usar de pretexto que é o fim do que quer que seja, que amanhã é outro dia. O fim, ele está ativado desde anos, desde 2011. Portanto, é necessário parar de viver em relação aos prazos de 2011 ou 2012? Então é necessário você se posicionar claramente. Ou agora é o Abandono total à Luz ou é o manter uma vontade de controle, o domínio então ligado à pessoa. A Luz não controla nada e não domina nada, ela se estabelece pela ação de Graça e pelo estado de Graça.

É isso que é importante viver e aproveitar de qualquer maneira, em algum lugar. É o fim do tempo onde vocês se serviam da Luz como um jogo, para fazer isso ou aquilo. E frequentemente, nesse caso aí, a Luz serve de pretexto, é um álibi. E a Luz lhes dá as provas, portanto, de que ela age, e nesse momento vocês veem que o álibi não funcionou ou que funcionou muito, nesse momento vocês reentram na reflexão – e nesse momento vocês irão quebrar seu corpo. Vocês irão ter problemas no ombro, problemas de tireoide, problemas no pé direito, fraturas da tíbia, fraturas do quadril do lado direito, vocês irão perder a visão do olho direito. Vocês estão em face de suas consequências. Não é a Luz, nem vocês mesmos que julgam, é simplesmente um problema de adequação. Não é por nada que nós temos empregado as palavras muito específicas, como transparência, humildade, espontaneidade, instante presente, última Presença, e todas essas palavras que lhes foram empregadas durante anos são extremamente significativas. Não se coloquem em oposição com o que pode restar de sua pessoa, desde que isso não lhes convenha, senão vocês irão se reencontrar numa certa forma, eu diria, de escuridão mental, de depressão, de “o que é bom”, de desesperança, ainda que vocês chegaram, agora. E isso é o que a Luz, a Inteligência da Luz mostra a muitos irmãos e irmãs encarnados desde quase dois meses e meio agora, digamos dois meses, dois meses e uma semana em breve.

A Luz lhes convida a largar, a Inteligência da Luz lhes convida ao sacrifício. Então, é claro, para a pessoa o sacrifício é intolerável, mas pelos místicos vocês tiveram inumeráveis testemunhos deste Abandono à Luz. Que isso seja pelo Caminho da Infância de Teresa, que isso seja por Gemma Galgani, que isso seja por Hildegarde de Bingen. Tudo isso lhes foi explicado, vocês consentiram nesses momentos. Hoje o Cristo lhes disse, vocês são todos Cristo em potencial, então se comportem como Cristo e não como uma pequena pessoa sujeita de qualquer maneira que seja às limitações de sua história. Há, é claro, já, suficientemente restrições na sociedade e restrições mesmo em relação ao seu próprio corpo que é limitado, sobretudo se vocês estão em idade avançada. É isso que é necessário ver agora. Não é questão de se culpar ou de dizer “eu me enganei” ou “eu cometi um erro”, mas de ver claramente a Verdade.

Vocês não podem mais enganar a vocês mesmos, agora prestem atenção. As histórias da Luz “eu perdi o trem porque a Luz não quis que eu viesse”, essas histórias de trabalhos “eu chamei a Luz para que ela me trouxesse alguém, depois finalmente não, eu não quero”, aí agora isso vai explodir no corpo, eu preveni vocês. Era uma advertência totalmente fraternal e realmente de amor incrível, de lhes dizer, não de colocar atenção ou de ter medos, mas de ver claramente o que se desenrola sobre a tela de sua cena de teatro, de sua consciência – sem falsos pareceres, sem álibi.

Lembrem-se, vocês não podem mais trapacear, nem com vocês, nem com o mundo, e ainda menos com a Luz. Sobretudo para aqueles que muito receberam. Pelas vibrações, por tudo que vocês têm seguido como escutado, como o que vocês têm vivido. Eu disse: “ame e faça o que lhe dá prazer”, mas como você pode amar, mesmo você mesmo – e eu falo não necessariamente a esta pessoa, eu me dirijo a todo mundo – chamando a Luz ou alegando a Luz, em outros casos, para justificar seus comportamentos ou as suas decisões. Não é mais possível isso, não é mais possível porque agora o corpo que vai desfrutar, como vocês dizem, que vai brindar, a consciência depois.

Então, é claro, vocês sabem, a finalidade é sempre a mesma, não há diferença entre a 3D unificada, a 5D, os Círculos de Fogo, as viagens entre os Arturianos ou o Absoluto. Isso não faz nenhuma diferença, mas para chegar até aí vai ter que, após a estase ou no momento da estase, afrontar essas resistências e ver vocês mesmos o que vocês não viram. Então, agora, isso se chama a redenção, o arrependimento, como disse Maria, mas depois como vocês querem viver essa redenção e este arrependimento se não há mais corpo, senão na consciência livre? O tempo de colocar fim a tudo isso, ao que vocês têm talvez resistido inconscientemente, sem erro real, sem problema de cristalização de memórias, simplesmente por atitudes, posturas, eu diria, do ego que não quer morrer.

A todos vocês é dado ver agora, quer vocês vibrem, quer vocês estejam liberados, quer vocês não estejam liberados. Aceitar o que está a ver, isso não quer dizer reagir, isso não quer dizer encolerizar-se, isso não quer dizer se culpar, isso quer dizer atravessar isso, ver, se perdoar, perdoar a todos, mas, sobretudo, não recomeçar. Como disse Jesus, para o cego que foi curado: “vai e não peques mais”. Hoje é a mesma coisa para cada um de vocês, vocês estão com o Cristo, com o Cristo interior. Lembrem-se disso, quer vocês o sintam ou não, ainda, no nível das Teofanias, da Radiâncias ou de seus alinhamentos, como vocês quiserem, mas o Cristo está aí, o Cristo interior está aí. Ele lhes disse, me parece.

É o momento da Verdade, e para estar na Verdade, é necessário serem verdadeiros. Verdadeiros, espontâneos, Um, enfim, eu não vou repetir todos estes termos que foram empregados pelos Anciãos e as Estrelas. Não temos mais tempo agora de falar tudo isso, isso já foi feito, além disso. Aí eu lhes digo, eu acompanho vocês e eu voltarei a cada vez que for possível como Maria o faz, desde que haja eventos particulares, a fim de acompanhá-los ao máximo. Não é questão de se contar histórias, de repetir os Arcontes, o confinamento, os chacras, as Portas, as Estrelas. É claro, se vocês têm questões, eu respondo, mas o mais importante não está aí, quer vocês estejam vibrantes ou não vibrantes, aliás. A questão é a questão da Verdade.

Vocês não podem estar em paz se vocês não são verdadeiros. Esta paz não pode durar. Vocês viverão as experiências de paz, mas vocês serão obrigados a esperar a estase para viver esse momento que vivem já numerosos irmãos e irmãs atualmente, antes mesmo do Apelo de Maria. Eles já ultrapassaram o Apelo de Maria, eles já ultrapassaram a estase, mas eles esperam o momento coletivo. Não se poupem nenhum esforço. Quando a Luz lhes pede, por exemplo, ou seu corpo lhes pede cuidados não digam: “oh, bah, não vale a pena, o fim é amanhã”. E se vocês estiverem aí em três meses ou quatro meses, vocês estarão talvez mortos de doença, ao invés de curados. Vocês veem isso que eu quero dizer ?

Sejam verdadeiros, não busquem pretextos, álibi, em relação à Luz, em relação aos eventos, em relação ao que pode se produzir em sua vida. Estejam disponíveis todo o tempo para a Luz, e não nos momentos que lhes convém, não nos momentos somente onde ela lhes chama, o Cristo veio como um ladrão na noite, mas não esperem um Cristo que chega do céu.

Então continuemos.


Não há mais questões escritas.

Há talvez questões orais.


...Silêncio...

Todo mundo dormiu, ou eles não ousam falar?


Questão: é um sonho: eu caminhava à beira do mar. Havia casas e as chamas saíam debaixo dos telhados. Eu queria avisar as pessoas, mas isso não parecia interessá-las.

E é tudo?

Na casa há o porão, falamos num sonho anterior, mas há também o sótão e o telhado. O telhado é a cabeça, o sótão são todos os engramas mentais que vocês têm guardado no curso da vida. Ver o fogo abaixo dos telhados, quer dizer simplesmente que há uma purificação das memórias e de tudo o que podia sobrecarregar o mental. Agora você, em relação a essas pessoas, você diz você mesma que está à beira do mar, aí também, então à cavalo ou na fronteira, se você prefere, entre a terra e a água. Essas casas estão então sobre o litoral, sobre a fronteira, à cavalo enfim, não na água, mas próximo à água, mesmo que esteja no alto, aí você vê os telhados, as chamas que saem do telhado.

Isso quer dizer que antes de passar na água, na intuição, na Liberdade Mariana, é necessário efetivamente consumir tudo o que pertence às memórias, é isso que você viu no seu sonho – e se endereçava, é claro, a você – e que necessita que a Luz desobstrua, limpe, queime, dissolva tudo o que estava debaixo da cabeça, debaixo do crânio, quer dizer, debaixo do telhado. Porque as chamas elas não vêm do telhado, em geral é da ardósia ou da terra seca, mas aí é... o fogo, ele toma embaixo. Aí ela não disse se havia o fogo nas janelas ou na porta, isso saía do telhado, as chamas. Então é o sótão que está em fogo. O sótão é o símbolo da sua cabeça. O que está contido debaixo do telhado, o que está contido debaixo do crânio, é o mental, é o cérebro, mas é, sobretudo, o mental. Todas as ideias, todas as crenças, todas as atitudes, os comportamentos, as feridas, as cristalizações, as memórias de vida se quisermos.

Outra questão.


Questão: porque algumas noites, dormindo, há a Luz no interior e outras noites, não há esta Luz?

Então, o Cristo está aí, eu lhes disse, a Ascensão começou (para aqueles que devem ascensionar), a Liberação está em curso; o Cristo veio como um ladrão na noite, ele está instalado em vocês, o que explica que há esta Luz no interior. Mas o problema, esta Luz, ela não desaparece, é você que se distancia de você mesmo, e nesse momento você não vê mais a Luz no interior de você. Não é o Cristo que partiu, nem a Luz que foi embora, é você que não está mais aí. Você não está mais à disposição da Eternidade nessas noites onde você não a vê, é que o dia foi decorrido, se você observar a anamnese de seus dias, é um dia onde você esteve, talvez, menos presente em você mesmo, menos presente no Coração do Coração, nesses dias.

Mas efetivamente, a Luz está no interior, nós sempre dissemos. Mas como há ainda as oscilações entre o efêmero e o Eterno, mesmo que se distanciem um do outro, agora que eles foram totalmente sobrepostos e alquimizados, bem, se nesses momentos, você está mais na pessoa, nesse momento você não está iluminado à noite. Você é iluminado em Eternidade, mas esta iluminação não chega até a sua pessoa, porque sua pessoa, neste dia, ou nas circunstâncias de seu viver deste dia, sem o querer, o mais frequentemente inconscientemente, você voltou às atitudes anteriores à instalação do Cristo em você.

Então eu não disse que o Cristo tinha vindo como um ladrão na noite para toda humanidade, hein, no momento, ainda não, mas vocês têm com este testemunho, as ilustrações do que eu lhes disse e isso que lhes dissemos desde já dois meses. Vocês veem bem, mesmo no exterior às vezes na escuridão a mais completa, que vocês não estão no escuro, vocês estão na Luz. De onde vem a Luz? Então às vezes há entidades, às vezes não há. Vocês são a Luz, porque há somente vocês. E é frequentemente no fim da tarde e a noite, é claro.

Outro marcador temporal, para aqueles que amam isso: no momento, as Teofanias, as Radiâncias, vocês sentem frequentemente, eu disse que havia muitos irmãos e irmãs que começariam a sentir, mesmo independentemente das quintas-feiras, as mesmas circunstâncias vibrais e de consciência que na quinta-feira à noite. E, frequentemente na quinta-feira, vocês veem, isso começa bem antes. Aliás, na primeira Teofania, Maria só interveio após para dizer que havia tido uma Teofania, para não influenciá-los, para lhes mostrar que o que vocês viveram, para aqueles que viveram, era totalmente real.

Ora, quando vocês começarem a sentir esses processos da consciência e do coração, eu não falo das Portas que estão ao redor, mas diretamente do coração – vocês veem bem, eu não falo mais do chacra do coração ou da Coroa radiante ou do Coração Ascensional, eu falo do coração, a palavra “coração” -, quando vocês sentem sua consciência que está no coração, porque isso se sente, hein, não é uma visão do espírito ou uma ideia, é alguma coisa de muito concreto, então nesse momento, quando vocês começarem a viver isso, o que vocês vivem pelas Teofanias ou justamente antes, ou ao invés, no fim da tarde, quando vocês começarem a viver antes do zênite do sol, quer dizer, desde a manhã, vocês podem se dizer que os dois eventos tão esperados estão verdadeiramente desta vez, em termos de dias, à sua porta.

Caso vocês estejam muito atentos, para aqueles que vivem estas Teofanias, esse coração a coração ou esse coração ígneo, pouco importam as palavras, vocês constatam que isso começava em hora específica da que foi dita. Isso começou um pouco antes, vocês veem que agora isso começa cada vez mais cedo, mas raros são aqueles entre vocês que poderão me dizer que isso já começou antes do meio-dia. No momento é bastante no meio da tarde, e vocês irão ver, quer seja de maneira muito rápida ou progressivamente, isso depende do tempo que resta, essa sensação, essa vivência da verdade do coração, da Infinita Presença e do Absoluto, do Parabrahman e da Teofania, vai se tornar constante. Aí vocês saberão que verdadeiramente, completamente, nesse plano da matéria onde vocês estão, que tudo está prestes a terminar. Aliás, o pandemônio sobre o mundo será tal, que desejarão nesse momento que isso seja o fim, desse cinema. 


Questão: um sábado, entre 16:00 e 18:00 hs, a Luz me levou em estase. Não era dia da Teofania, a Luz, teria ela vindo trabalhar num órgão em relação a este horário?

Completamente, mas não há relação estabelecida com os horários da cronobiologia, ou ainda da acupuntura ou da homeopatia, em relação a certos horários. Isso não tem relação com isso, a Luz é independente dos horários quaisquer que sejam, dos meridianos, dos remédios homeopáticos ou de qualquer outra coisa. Então você queria saber o que?


 Questão: se a Luz veio trabalhar num órgão específico.

A Luz veio. Depois, ela trabalhou sobre um órgão, eu penso que você está melhor colocado do que eu, mesmo através do que eu vejo eu, para definir o que foi mudado em você. Mas todas as ordens da Luz, todas as mini-estases, os desaparecimentos que vocês vivem, não estão destinados a tratar o que quer que seja, mas para fazê-los desaparecer. Então porque vocês querem que isso seja para tratá-los de alguma coisa? Evidentemente, vocês podem pedir à Luz para lhes tratar de alguma coisa – está autorizado, é recomendado, façam a experiência – mas quando a Luz lhe cai encima e você cai em estase, porque você pensa que está ligado a um tratamento sobre um órgão? 


Questão: isso foi dito quando de uma anterior intervenção.

Sim, completamente. Mas não é você que pede o que quer que seja?


Questão: não.

Então não peça nada e contente-se quando isso se produz também cedo no dia, de viver isso com bênção, é tudo. O mais importante é o que você vive nesse momento e não os efeitos sobre o seu efêmero, são os efeitos, eu lhe disse, sobre o coração e sobre a consciência.


Nós não temos mais questões.

Ah, as questões começam a se rarear, quer dizer que quase não há mais questões, isso quer dizer que vocês serão liberados em breve.

É claro, eu voltarei, talvez não mesmo no fim, mas em função dos intervenientes e, sobretudo, eu diria, em função do pandemônio da terra, não é? Que isso seja do humano da própria Terra, ou do céu. E em função disso, e em função também da intervenção de Maria, eu lhes especificarei, quando eu voltar a vê-los pelas questões, mas também porque eu teria coisas a dizer, mas que eu não posso dizer agora. É preciso esperar certo número de sinais, para nós, que não são necessariamente sinais para vocês, hein, mas que são sinais para nós, através de nossa observação minuciosa agora de lá de onde nós estamos, das forças etéricas, se eu posso dizer, que estão em ação.

De um lado vocês têm o Fogo Ígneo, do outro lado vocês têm os restos do fogo vital, individual, coletivo, social, na escala da Terra. E não está mais nas linhas de predação no nível astral, estão verdadeiramente colocadas em formas etéricas que estão ligadas aos hábitos e aos comportamentos de uns e de outros, mas que não estão ligadas às memórias, hein, ou aos sofrimentos ou às cristalizações. É que isso que nós observamos nesse momento, que são sinais para nós e que nos permitirão vir lhes falar de coisas talvez ainda mais pontuais, se eu posso dizer, e extremamente simples no entanto, do que se está para viver e o que se vai viver neste período. Mas através de seus sonhos, através de seus testemunhos, vocês ilustram perfeitamente o que se vive nesse momento. E era o objetivo, eu agradeço vocês.

Então eu me permito, porque nós temos um pouco de tempo, de transmitir a vocês todas as minhas bênçãos e de nos instalar nesse Fogo Ígneo todos juntos aqui, e em outros lugares quando vocês lerem, alguns minutos.

...Silêncio...

Eh bem, caros amigos, eu agradeço vocês por sua presença, eu agradeço por sua comunhão e eu lhes digo muito certamente, até alguns dias. E, sobretudo eu lhes digo – como eu dizia na época? – good vibe, *em francês – para essa noite. Até breve.


***



Tradução do Francês: Mariana Anzzelotti



PDF (Link para download) : OM Aïvanhov - Parte 2 - Q / A - MAIO 2017


8 comentários:

  1. Vocês não podem colocar qualquer vontade pessoal ou reflexão pessoal em face da Luz. Vocês são Luz ou vocês são a reflexão, mas vocês não podem ser um dia a Luz e amanhã não, se servir da Luz para os seus proveitos pessoais.
    .........
    Ou agora é o Abandono total à Luz ou é o manter uma vontade de controle, o domínio então ligado à pessoa. A Luz não controla nada e não domina nada, ela se estabelece pela ação de Graça e pelo estado de Graça.
    .........
    Hoje o Cristo lhes disse, vocês são todos Cristo em potencial, então se comportem como Cristo e não como uma pequena pessoa sujeita de qualquer maneira que seja às limitações de sua história.
    .........
    Lembrem-se, vocês não podem mais trapacear, nem com vocês, nem com o mundo, e ainda menos com a Luz. Sobretudo para aqueles que muito receberam.
    .........
    É o momento da Verdade, e para estar na Verdade, é necessário serem verdadeiros.

    ResponderExcluir
  2. Eu nao compreendi bem alguns trechos ,como forma de esclarecimento, existe um site chamado projeçao astral que vem relatando experiencias do rapaz que se projeta a varios anos e pelos videos que ele posta eh bem sensato e consistente,logo existem experiencias relatadas por ele muito proximas em datas ainda deste meio de maior..e em certo trecho dessa canalizaçao diz que nao eh mais possivel se fazer a viagem astral,pelo meu entendimento...alguem entendeu de uma forma diferente?

    "... Vocês sabem que hoje não tem mais viagem astral, é uma saída na Existência que se produz, então o processo é um pouco diferente."

    e este eh o site que relata as projeçoes ou viagens astrais = http://projecaoastral.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Xurem, são níveis de percepções diferentes...

      As mensagens aqui publicadas situam esse assunto de modo diferente, já meio que transcendendo-o, chegando mesmo a dizer que o próprio astral, assim como o mental, e até mesmo o causal, já não correspondem ao que se desenrola a esta altura dos acontecimento ascensionais...

      Confesso que eu mesmo já não me conecto a assuntos astrais já de longa data...

      Então, projeção astral, que nunca foi alvo destas mensagens "AD", certamente que hoje ainda são menos...

      Excluir
    2. Vejo a viagem astral como uma armadilha, ou seja, criada pelos Arcontes... Toda viagem astral pertence a quarta dimensão. lembrando que o Arcanjo Anael revela que muitos irmãos e irmãs iniciadores da Luz estão presos no astral, só que aquelas consciências foram atraídas e iludidas, elas ainda acreditam estar livres, mas estão confinadas, são todos os seres que se dizem mestres ascensos dos raios, alguns canais recebem mensagens destes seres. Então um trabalho foi feito no Astral para seu dissolvimento, pelos seres da luz, para que não prejudicasse o acesso a infinita presença ou a última presença dos liberados vivos e outros. Projeção astral é uma saída, mas nunca será a verdade do liberado vivo.

      Excluir
  3. A questão do 'pintor' foi pra mim TB... (risos). Ótimo puxão de orelha, mestre OMA. Gratidão!

    👽🙏

    ResponderExcluir
  4. Fiquei tocada com a questão da pintura, senti, também, como um puxão de orelha. Fico impressionada como eles pontuam nossos percalços com precisão. É amigos, temos que estar atentos, conscientes da Presença todo o tempo.
    OHGLORIA, OHGLORIA, OHGLORIA!!

    ResponderExcluir
  5. ... (Risos), eu vou relatar para vocês da minha testemunha, de que os seres da Luz, sabem tudo o que a gente faz, pensa e pratica heheheh... Comecei a tratar o Mestre Aivanhov de forma mais intima hehehe, comecei a chamá-lo de vovozinho em consciência, porque era um sonho tê-lo como vovozinho, contando história para seus netinhos (no caso eu) heheheh, mas vocês recordam que ele ensinou uma forma de amenizar nossos julgamentos ( aquele que diz que é ), Então ele retratou numa mensagem assim... Aqueles que me colocam apelidos, aqueles que me chamam de velhinho ou vô. lembrem-se. " Aquele que diz que é...). Pessoal, foi um banho de água fria em mim, foi muito legal mesmo heheheheh. Rendo graças a nosso amado vovozinho Aivanhov. Então vamos vigiar e meditar.

    ResponderExcluir