OMA - Q/R - Parte 4 - Abril 2017



OMA - Q/R - Parte 4 - Abril 2017
Mensagem de 05 de abril de 2017 (publicada em 30 de abril)
Origem francesa – recebida do site Les Transformations


Áudio da Leitura da Mensagem em Português - por Noemia
Clique aqui para fazer o download do áudio


Eh bem caros amigos, nós vamos poder dialogar sobre vossas últimas questões. Então, eu os escuto.


Questão : como orar para alguém ?

É a sequência da questão de agora há pouco, como orar para alguém ?


Questão : sim.

Mas você ora com seu coração, por que você tem necessidade de uma técnica ? A oração do coração, é a única prece eficaz. Você se coloca em seu coração, você coloca a pessoa em seu coração, e você pede o que você quer ao seu coração.  Não vale a pena fazer rituais ou uma prece particular, onde quer que ela seja ou de onde quer que ela seja.  A prece espontânea, não há regra, é seu coração que deve falar, e o coração é espontâneo. Portanto não reflita sobre como você vai orar ou como é necessário orar, faça-o. É o mental que tem necessidade de ter referências, de contextos e uma técnica. Vocês não estão mais no tempo das técnicas, eu disse.

Questão seguinte.


Questão : na idade de 11 anos, após um traumatismo, eu vivi um desaparecimento da consciência do corpo. Tive a impressão de não mais existir. Tive de me reconstruir sobre outras bases. Quando o corpo desaparece, a pessoa desaparece ela também ? 

Há uma segunda questão ligada à primeira. Eu a leio em seguida ?

Não.

O problema, você vê, é que esse acontecimento, como você o diz e como você viveu – o desaparecimento da pessoa - , aconteceu, se compreendi bem, na idade de 11 anos. Ora, vocês o sabem, a estrutura mental ainda não tinha aparecido. O que quer dizer que essas experiências de desaparecimento que acontecem muito jovem às vezes deixam marcas, mas normalmente, da mesma maneira que desde a idade de 5 anos vocês esqueceram que vocês eram Absolutos, porque vocês criaram uma pessoa, e ali a pessoa não tinha estabilizado o corpo mental, ele, aparece depois, três anos depois, o que quer dizer que a experiência, mesmo se ela foi muito real, não lhe permite afirmar que hoje você é liberado.  Aí está o que eu queria dizer em relação a essa experiência.  A segunda parte ? 


Questão : atualmente, e em consequência disso, eu sei que o corpo não é senão um veículo emprestado, mas a consciência da pessoa, eu a vejo como a cola da qual eu não posso me descolar.

Você não pode se descolar porque a consciência, quando eu disse que há primeiramente o corpo emocional, corpo astral, que aparece aos 7 anos, e depois, por volta dos 14 anos, o corpo mental. Vocês têm Anciãos que testemunharam, que viveram o Despertar muito jovens, mas era aproximadamente 16 anos, aí isso dura toda a vida. Ao contrário do que acontece antes dos 14 anos, eh bem como você o descreve perfeitamente, a consciência se reuniu ao corpo. Todas as técnicas que nós lhes demos, tudo o que nós lhes demos, é o trabalho que nós fizemos desde mais de dez anos, de lhes dar os diversos meios de não mais estarem identificados ao corpo, mas como você o descreve tão bem, a experiência de 11 anos era total e não obstante hoje, é como se ela não tivesse acontecido, porque aconteceu, como eu lhe disse, antes dos 14 anos.

Portanto não tenho técnicas a lhe dar, as técnicas elas foram empregadas durante anos. Tudo o que resta é o sacrifício da pessoa, ou seja que enquanto vocês acreditam de uma maneira ou de outra, que vocês são... mesmo se você sabe que esse corpo é, um veículo, sua consciência está ligada a esse veículo, e é indispensável para muitos de vocês. Eu os lembro que ainda há alguns anos, havia alguns de vocês que tinham feito viagens em Existência e que se encontraram com laços nos tornozelos e nos punhos, porque não era o momento para eles.  Hoje tudo isso não é mais válido, essas regras. Aí, há apenas sua consciência, no último face à face, que pode dar o último passo.

Portanto, eu não posso dar-lhe técnicas. É um sacrifício que concerne a você mesmo, quer dizer que alguma parte permanece, como você diz, agarrada como cola à identidade, mesmo se você viveu, infelizmente antes dos 14 anos, esse gênero de mecanismo, sobretudo quando isso acontece, e eu diria mesmo... Se é antes dos 8 anos, isso pode permanecer mais facilmente do que se é entre 8 e 14 anos, mas vocês não têm nenhuma lembrança do que vocês eram antes dos 3 anos.  Se tivessem, seria apenas a lembrança, vocês veriam que vocês não eram uma pessoa, mesmo sendo bebê.  O bebê, ele é Absoluto, ele não está cortado, ele não fechou a fontanela e até mesmo um ano depois, o bebê não tem nenhuma noção de ser uma identidade ou uma pessoa, é somente um saco de carne, como Bidi disse. Certamente ele reconhece vagamente o papai e a mamãe, e é justamente a identidade do papai e da mamãe que vai fixá-lo na pessoa. E é por isso que se disse muitas vezes que nos povos unificados, em 3D unificada, não há pais.  Lembrem-se de que vossos pais, são sempre um karma a carregar, a resolver, em meio à pessoa e da hereditariedade deste mundo.

Portanto eu não posso lhe dar técnicas, eu posso simplesmente dizer : eleve em vibração, qualquer que seja a técnica que você utiliza, mas vocês não estão mais nessa fase, vocês estão no último face à face. E você constata que você está agarrado, isso não quer dizer que é necessário encontrar uma técnica para se desagarrar, uma vez que é sua própria consciência que se dessagarra - sozinha – a partir do instante em que você se sacrifica, sem nenhuma dificuldade hoje para muitos e que vai se tornar, com o evento de Maria que lhes foi anunciado e que alguns viveram... é a única maneira. E sobretudo não esqueçam que uma experiência passada, que ela tenha acontecido ontem, que ela tenha acontecido há dez anos ou cinquenta não muda nada.  Inconscientemente, vocês sempre tentam fazer reviver uma experiência passada, isso é um erro porque inclinando-se sobre esse passado, sobre uma experiência tão maravilhosa qualquer que ela seja, ela os impede de acessar o instante presente. É a natureza do confinamento, mesmo.

Você constatou aos 11 anos que você era mais do que esse corpo, você teve o testemunho direto, e hoje você me diz : « Eu sei que eu não sou esse corpo que é somente um veículo ». Por outro lado você constata que a consciência está muito agarrada ao corpo.  Agora, como eu disse, não é mais uma questão de segurança, com os laços nos tornozelos e nos punhos, é somente uma resolução do último face à face e da sobreposição do efêmero e do Eterno.  Não há senão o momento em que o efêmero é visto como realmente algo ao qual se sacrificou– para a Eternidade -, e nesse momento vocês são liberados, mesmo neste período, com o Manto Azul de Maria ou a mensagem do Sol, mas não antes. Exceto é claro se você foi liberado pela Onda da Vida ou pelo Fogo Ígneo, o que não é seu caso.

Outra questão.  


Questão : é um testemunho : em 2 de abril pela manhã, eu fazia a limpeza e a palavra « abandono » retornava constantemente. Em um momento, eu não estava mais em meu corpo, mas na palavra « abandono » que preenchia todo o espaço no interior e no exterior de mim...

Eu a corto primeiramente para dizer que é no 2 de abril de manhã que nós enviamos a primeira mensagem, enfim que o Sol lhes enviou a primeira mensagem, e ela não aterrissou em todos os lugares, sem isso vocês a teriam vivido a partir desse instante em que se passava alguma coisa no Sol, antes mesmo que isso chegasse na terra.  Esse foi o caso para alguns irmãos e irmãs, e aliás é por isso que Maria não falou disso senão após o meio-dia. Se ela quisesse dizer-lhes isto um pouco antes, ela teria dito um pouco antes, mas o efeito surpresa foi amputado porque vocês eram apenas alguns a terem vivido a etapa inicial, e efetivamente a palavra « abandono » corresponde completamente a isso.  Você pode continuar.


Questão : … depois, um vazio abissal se instalou em meu coração e se expandiu, isso cortou-me a respiração. Esse vazio se revelou cheio de uma paz indescritível que preencheu todo meu ser. O que eu segurava caiu de minhas mãos, eu tive de me apoiar na parede, o corpo trêmulo e fluiam lágrimas de felicidade. Eu senti a presença de Maria em mim e fora de mim. Um grito saiu : «  Maria ! ». A palavra « evidência » apareceu, a evidência do abandono do Si. Eu senti isso como uma reconexão a mim mesma. Eu Agradeço. Eu nos amo. 

Agradeço, é exatamente o que Maria previu para os dias seguintes, que foi estendido por vários dias, infelizmente. Mas efetivamente muitos irmãos e irmãs o viveram diretamente no nível do Sol, quando dos primeiros movimentos, quer dizer antes mesmo da chegada das radiações sobre a terra, ou seja os primeiros flashs de impulsos de ejeção de massa coronal e as radiações. E há alguns que o viveram, é precisamente isso que vocês vão viver, se vocês não o viveram. Então certamente, não sempre com a mesma intensidade, isso pode tomar... nesse caso, é uma palavra que se grava, mas vocês saberão pertinentemente, vivendo isso, mesmo que isso seja durante o sono, vocês verão que há um antes, como foi dito, e um depois.  Vocês veem ? Portanto, é um testemunho magnífico certamente, sobretudo em relação ao dia em que ele aconteceu e à hora em que aconteceu.

Então, podemos continuar.


Questão : é um sonho : um gato em posição de esfinge me estende sua pata direita de cor verde jade ; eu a toco. Um cervo e seus pequenos vêm se esfregar em meus joelhos. Um grande pássaro vermelho com um longo pescoço púrpura vem se enrolar ao redor de meu pescoço afetuosamente. Eu olho seus grandes olhos, pergunto seu nome : Fênix. E aí, eu desperto.

Oh é muito simples, aí também, vocês têm ao mesmo tempo a fusão do efêmero e do Eterno, e a alquimia que se produz, ou seja a dissolução. A dissolução do efêmero, que vocês estão prestes a viver, coloca fim a todos os véus. Como isso foi dito pelos povos da natureza, e como nós o falamos a respeito dos animais, em sonho também, vocês vivem o encontro com animais selvagens, como o cervo por exemplo, e também o pássaro. Então é claro, há um simbolismo em relação às cores e ao tipo dos animais, mas o mais importante aí, nesse sonho, não é isso, é o que eu acabei de dizer. Então certamente, após, o primeiro animal é qual ?


Questão : o gato.

O gato. Sim, aí, está diretamente em ressonância com suas linhagens. Vocês vão constatar, vocês sabem, os elfos lhes disseram que vocês vão ver os animais aproximarem-se de vocês, em seu corpo de carne ou em seu corpo astral.  Certamente, aí também, a noção de afinidade e de ressonância vibratória vai afetar. Se vocês têm linhagens aéreas – Altair, os pássaros -, os pássaros vão vir.  O cervo está ligado à Terra, o gato está relacionado à Sírius, etc., etc. Aí, são mais linhagens que se revelam, é a sintonia, a afinidade vibratória com os diferentes povos da natureza e também dos animais, selvagens ou domésticos, que vão se manifestar dessa maneira. É perfeitamente lógico.

Vamos, continuamos.


Questão : como saber o momento certo para fazer eutanásia em seu animal ?

Como saber ? Mas é suficiente observar o animal. Não sou eu quem observa esse animal, é você. Um animal quando ele vai morrer, ele se esconde, todos os animais, mas se ele sofre, ele vai se manifestar. Deixe-o morrer em paz se ele não sofre.  A eutanásia concerne apenas aos animais que sofrem, mas os animais são perfeitamente capazes de morrer sem sofrimento e no silêncio.  Nesse momento, respeitem.  Por que levá-lo, fazer picar, então que... sobretudo os animais domésticos, eu os lembro que eles estão em curso de individualização e sobretudo agora, os animais domésticos ou os animais em curso de individualização são perfeitamente capazes de partir em paz, sem sofrimento, aliás como vocês, vocês vão ver.

Portanto, não sou eu quem devo lhe dar a resposta, é a observação normal de seu animal. Primeiramente, ele sofre ? Mas isso ele lhe dirá, o animal, seja que ele late, seja que ele geme, se é um gato, ele vai miar, ele vai chamar, e se ele se mantém tranquilo em um canto, deixe-o tranquilo e partir em paz. Vocês sabem, isso foi dito muitas vezes, isso foi repetido eu creio durante este período, que a maneira à qual vocês morrem condiciona vosso futuro. Para os animais, que estão em curso de individualização, é totalmente verdadeiro. Assim há processos que podem ser conduzidos tranquilamente até a separação da alma, do corpo, nesse caso é necessário deixar o animal tranquilo. Mas se há sofrimento, efetivamente é necessário agir. Portanto há somente você que pode vê-lo a cada dia. Não há melhor momento, cada animal é diferente.

Outra questão.


Questão : é um sonho antigo : um grupo de desconhecidos me pede para saltar sobre uma cerca-viva densa. Eu supunha que havia o vazio atrás, e eu pensei que ia me matar, mas eu constato que eu voava no ar com uma grande alegria. O que é isso ?

Então, não compreendi nada, porque há um muro, uma cerca-viva, e ao mesmo tempo você voa, eu não compreendo. Se você estava no solo, você atravessou a cerca-viva ou não, escalando-a, mas se você voa, é isso que eu não compreendo.  De qualquer maneira, o sonho de voo é sempre significativo de uma desincorporação.  Agora, se você voa, eu não vejo em que você pode ser parado por uma cerca-viva densa, foi isso que eu não compreendi...


Questão : desconhecidos lhe pedem para saltar uma cerca-viva. Ela não sabe o que há atrás da cerca e ela supõe que é o vazio...

Sim, mas ela está prestes a voar.


Questão : não imediatamente. Ela pensa que é o vazio e que ela vai se matar, e na verdade, ela se põe a voar.

De acordo. Compreendi melhor, no nível da cinética.  Isso significa efetivamente uma experiência fora do corpo, uma viagem astral ; todos os sonhos de voo estão ligados a isso. Bom, no nível do significado do sonho, isso não muda nada, hein.  Ela atravessou uma etapa nesse momento, é tudo o que eu posso dizer. Porque no corpo astral, em realidade, não há vazio. Então evidentemente, você me diz que o sonho de voo é depois, hein, está aí a dificuldade. Portanto aí eu não posso concluir de maneira definitiva, mas o sonho de voo, mesmo como segunda parte, significa que ela saiu do corpo.


Questão : é um outro sonho : eu entro em um edifício com uma mulher. À direita, há estudantes em uma sala, à esquerda um corredor, e um ser com uma longa vestimenta branca me faz visitar as salas. Na segunda sala, não há estudantes mas um grande aquário transparente cheio de fios embaraçados. O ser me diz : « Olhe, aqui está contida toda a tecnologia da luz ». Eu me volto para a mulher, eu quis gritar de alegria. Eu desperto.

Bem. Como você diz, não é sua casa, é um edifício onde acontece, aparentemente, ensinamentos, uma vez que há estudantes na primeira sala. Em seguida, há um sábio que você não conhece, que lhe mostra uma segunda sala, onde lhe mostra tudo o que está ligado à Luz, à Liberdade, através dos diferentes símbolos dados, aí está.  Isso quer dizer simplesmente que você fez uma incursão (mesmo se esse sonho é muito antigo), nos domínios do Conhecimento.  Não o conhecimento tal como vocês o conhecem no nível humano, mas você tocou um local onde algumas coisas são reveladas, onde se pode estudar algumas coisas. E visto o que você me descreveu, você penetrou em uma forma figurada, e não real, são imagens projetadas pelo seu subconsciente em retorno que correspondem a grosso modo ao que foi chamado os Anais Akáshicos, mesmo se não é inteiramente um termo exato, ou seja o lugar onde estão estocadas as memórias. Eu não posso dizer mais.


Questão : há 25 anos, após ter comido um bolo contendo substâncias alucinógenas, eu fui contatado por um ser de uma embarcação espacial. Uma força me agarrou e fez meu corpo dobrar para frente, e uma energia vermelha saiu pelo meu chakra coronal.  Um diálogo se instaurou com esse ser, mas o medo estava presente. Eu me sentei sob uma árvore. Por muito tempo, largos painéis cristalinos luminosos passaram em mim depois tudo parou. O que é isso ?

Oh sim, eu posso esclarecer, sobretudo se você comeu substâncias alucinógenas. Você mesmo disse, são alucinações.  É um fantasma, é astral, aí, não é um sonho e eu não tenho nenhum meio de verificar se é uma experiência real ou se corresponde ao seu subconsciente. Portanto, não é um sonho, eu não posso explicar isso, sobretudo quando são meios artificiais como esse. Vocês sabem perfeitamente que há produtos que permitem fazer viagens xamânicas, certamente, essas viagens xamânicas não são a realidade.

É claro, há símbolos que aparecem sempre, a serpente, a origem do mundo, a visão do mundo, o DNA, mas tudo isso são franjas onde se misturam as forças inconscientes e a realidade. E no mais, tomar substâncias de maneira não espontânea, que não o faz desaparecer, mas que faz aparecer visões, eu confirmo, são visões alucinatórias. Não se pode atribuir nenhum crédito, qualquer que seja a intensidade. Exceto, é claro, se vocês já são liberados, mas visto que é algo que se passou há tão longo tempo, eu duvido muito que você fosse uma pessoa liberada naquele momento. Portanto esqueça isso, porque qualquer que seja a intensidade dos encontros extraterrestres, que são efetivamente muito frequentes no universo dos alucinógenos – certamente eles são o reflexo de uma realidade, mas distorcida -, não é a verdade, está alterada.

Continuamos.


Questão : as Radiâncias Arcangélicas são sempre às quintas-feiras à noite ; há 45 anos, o invisível me estabeleceu encontros na quinta-feira à noite. Por que essa escolha ? Isso corresponde à cor laranja ?

Não, não há nenhuma correspondência com Júpiter, muito simplesmente. É tudo. E Júpiter, o jovial como se diz, é uma energia muito benéfica.


Não há mais questões.

Ah bah sim, talvez há questões aqui.


Não há mais questões escritas.

Bah não me importa, há outras questões aqui.
Então, quem toma a palavra ?


Questão : sobre a prece do coração, é necessário sempre ter a autorização da pessoa para a qual se ora ?

Ah, é diferente. Há pouco era um pedido que era feito. Agora, atenção, você tem plenamente o direito de orar para quem você quiser, mesmo sem acordo, mas nesse momento respeite a liberdade do outro, quer dizer, você não pode fazer o pedido específico. Você pode simplesmente pedir à Luz para mostrar, por exemplo, mas você não pode decidir a orientação da prece, sobretudo se a pessoa não sabe. 

Quando eu estava encarnado, eu orava todas as noites para todo o planeta, e também para alguns irmãos que tinham me pedido, e também para alguns irmãos e irmãs que não tinham me pedido nada – mas aí, a prece era diferente, ou seja eu tentava ser o mais neutro possível, não pedir uma intenção específica mas em vez disso que seja a Luz, para esses irmãos e essas irmãs que não tinham me pedido nada.

Portanto tudo depende se há pedido ou não. Mas bom, eu diria, e não é um jogo de palavras, vigiem e orem primeiramente para vocês mesmos, hein. E depois para todos os outros. Vamos, continuemos.

… Silêncio…

É bem o que eu disse, são as últimas questões.

… Silêncio…

Questão : eu desapareci durante anos e desde 2012 eu não desapareci mais, é normal ?

Vamos antes mesmo retornar sobre essa palavra de desaparecimento que vocês empregam sem parar. Vocês têm a impressão, quando vocês dizem : « Eu desapareci », isso aí é, eu sou livre. Mas o desaparecimento...


Questão : não…

Eu não falo para você, mas há muitas questões que foram colocadas sobre os desaparecimentos ou em todo caso elementos, dos irmãos, das irmãs, que desapareceram.

O desaparecimento, se ele não acarreta nenhuma mudança no retorno, é do sono. Certamente que há uma analogia entre o Absoluto e o sono, mas o fato de desaparecer durante o sono, exceto aqui quando vocês nos escutam, ou em outros lugares se vocês dormem escutando, aí vocês são Absolutos, mas o problema, é como eu disse há pouco, vocês passam sempre pela Infinita Presença. Ora o testemunho, é a Infinita Presença, o que quer dizer que quando vocês desaparecem, isso lhes dá a certeza de serem liberados no momento final, mas não antes. Porque aquele que desaparece verdadeiramente – ele passa, mesmo se não é obrigatório, pela Infinita Presença, exceto em sonho -, e quando ele retorna, ele leva com ele alguma coisa, e essa alguma coisa que é trazida, é a Infinita Presença e é isso que muda tudo.

E como você mesmo o diz, você desapareceu até 2012, e agora você não desaparece mais, porque é necessário ver para você o que é que ainda se prende a essa história, e a esse corpo e essa pessoa, quais são os medos que estão escondidos por trás. Aí está o que eu queria dizer.  Portanto quando vocês empregam a palavra « desaparecimento », não faça disso uma Liberação.

Como eu também disse há pouco, vocês têm muitos irmãos e irmãs hoje que ainda são capazes de desaparecer, de se alinhar e desaparecer, e o que é que eles constatam ? Quando eles retornam, eles estão ainda mais em raiva, não é normal.  E uma fuga, é um desaparecimento... eu não disse isso para você. É necessário não confundir o desaparecimento ligado a uma fuga, um esquivar-se se vocês preferem, e um desaparecimento com um retorno em um estado de beatitude que nada altera, sem isso é um desaparecimento para nada, que traduz certamente vossa Liberação final, mas a pessoa ainda está presente, muito presente. Vocês o veem bem em vossos comportamentos todos os dias agora. Aí está o que eu queria dizer sobre o desaparecimento.

Agora, porque você não o viveu mais desde 2012, e porque você o vivia antes, é porque antes de desaparecer, é necessário, o estado de vigília, de meditação ou de alinhamento, necessariamente, contrariamente aos sonhos ou a outras circunstâncias, passar pelo testemunho do acesso ao Absoluto, pode-se dizer.  O testemunho do acesso ao Absoluto, é a Infinita Presença, é o momento em que a consciência se apaga. Mas se vocês passam do estado de vigília ao desaparecimento escutando as vibrações, o que nós lhes dizemos, ou em meditação, se vocês não trazem isso, na ida como na volta, a lembrança dessa Infinita Presença, isso quer dizer o que ?  Isso quer dizer que, como nós sempre o dissemos, vocês são liberados no final.  A Infinita Presença é o desaparecimento do Si, mas esse desaparecimento do Si,  que conduz à a-consciência, ele deve ser consciente. Nesse momento você é liberado vivo e não liberado-morto.  Tanto mais que agora, vocês não têm mais os laços nos tornozelos e nos punhos, é muito raro.

Se vocês desapareceram sem lembranças, isso quer dizer que a pessoa se reinstalou. É como uma experiência passada, vocês puderam muito bem, por exemplo houve irmãs, irmãos,  que nos contaram experiências magníficas, e que dizem que essa experiência não se reproduziu. Isso quer dizer simplesmente que o Espírito, a alma, a consciência se recolocou no corpo e está em alguma parte identificada a esse corpo e a essa história.

Eu não poderia falar assim quando eu estava encarnado, porque eu também tinha medo do Absoluto. Eu sabia que isso existia porque fusionei com o Sol muito jovem, e aliás eu disse que tinha alguma coisa atrás.  É bem evidentemente, para o Si, o que há atrás do Si, é o nada, o horror, mesmo se sabe-se que isso sustenta os mundos e que é, modo de se expressar eu diria, a origem do Amor. Alguém há pouco descreveu essa Paz que não pode ser comparada à outra coisa. É precisamente isso. Quando vocês penetram isso em lucidez, vocês sabem que vocês reencontraram vossa casa, a verdadeira, e nada mais da pessoa pode bloquear isso e não pode prendê-los. Permanecem somente os hábitos, ainda algumas ideias, algumas crenças, mas nada os impede de revivê-lo a cada vez passando pela mesma etapa.

Os desaparecimentos escutando as vibrações, as canalizações, meditando, que não passam – quando vocês estão conscientes, não adormecidos – por essa Infinita Presença em que vocês verdadeiramente viram tudo o que há antes de desaparecer, dando-lhes a certeza de serem liberados, é tudo, mas não se enganem entre as experiências e o estado definitivo do Absoluto. Há muitos que se enganaram com isso, hein.

O Absoluto conhece todos os mundos, é bem a consciência que traz o testemunho. Portanto se vocês passam do desaparecimento à pessoa, vocês não têm nenhum meio, mesmo que vocês o produzam sozinhos, de estarem estabilizados na Liberdade por enquanto. Isso quer dizer que vocês têm a passar um certo número de coisas que se desenrolam neste momento, que é necessário ver, atravessar, e não pensar.  Sem isso vocês não estão livres, mesmo que vocês tenham a segurança e a certeza da Liberdade. Vocês veem a diferença ? E bem evidentemente, a vivência não é exatamente a mesma.

No caso do Liberado Vivo, há uma pessoa que é um veículo, mas não é mais a pessoa quem controla, quem dirige, é a Vida, assim aquele que vive o Si e que desaparece escutando, ele está para ser liberado, mas isso quer dizer também, uma vez que agora não há mais os laços, que vocês têm de passar por certas etapas no efêmero para poder chegar àquilo, antes da estase.

É por isso também que eu adverti em relação a este período. É um período mágico, excepcional e maravilhoso, eu creio que os elfos lhes disseram, mas no nível da pessoa, isso arrisca não ser a mesma coisa.  E justamente, todas essas experiências na natureza, mesmo em meio à consciência ordinária, vão permitir-lhes soltar, obrigados e forçados, felizes ou não, tudo o que tem ligação com a pessoa e a história desse corpo.  Isso, isso faz uma pequena diferença agora, porque vocês veem bem ao redor de vocês, e aliás houve exemplos em relação a algumas questões, que vocês têm irmãos e irmãs que vibram todas as Coroas, mas ainda há uma personalidade.

A ativação das Coroas, a subida da Onda da Vida, se ela parou antes de reunir-se à Fonte de Cristal, o Canal Mariano, faz de vocês o que são João chamava os eleitos, mas os eleito do que ? De nada absolutamente.  Os eleitos são aqueles que elegeram seu domicílio na Eternidade. Os chamados são aqueles que de qualquer maneira serão eleitos, mas que imperativamente devem passar por etapas. Essas etapas elas são agora, no efêmero primeiramente, na vida de todos os dias, e muito rapidamente nos 132 dias.

É por isso que eu atraio vossa atenção para dar muitíssima atenção ao que sai de vocês, em raivas, em julgamentos, em contrariedades, em sujeição de uns e dos outros, porque isso quer dizer que aí vocês vão ter coisas a passar. A maledicência, todas essas pequenas faltas que não são graves uma vez que vocês vibram o coração, mas que justamente os fazem sem parar colocar a questão entre o Si e a Liberdade.  O Liberado jamais se coloca a questão de ser liberado, ele encontrou o que ele é.  Para ele, mesmo a Liberação não quer dizer nada, nem o fim do mundo, nem o fim de seu corpo. Ele está aí porque ele está aí, e vocês sabem muito bem que para passar o buraco da agulha, é necessário abandonar todas as bagagens, o Cristo o disse.

Ainda uma vez, isso não quer dizer tomar isso literalmente, dar todo seu dinheiro, hein, ou abandonar tudo, isso quer dizer ver os pesos que os encobrem.  E essa diferença, doravante, entre o Liberado Vivo com forma e o Si que se prepara para ser liberado, vai lhes aparecer cada vez mais claramente.  Vocês veem ? 

Outra questão.


Questão : o « Vigiem e orem », para o Liberado Vivo, é a mesma coisa do que quando ele estava na pessoa ou é mais espontâneo e sem necessariamente pedido ?

Eu não estou certo de ter compreendido, está mal expressado, hein.


Questão : para o Liberado Vivo, o « Vigiem e orem », é espontâneo e sem pedido ?

Mas o Liberado Vivo é uma prece permanente, ele não tem necessidade de pensar nisso. O Liberado Vivo é um estado de prece e de comunhão total. Ele vive sua vida, mas ele não tem necessidade do que quer que seja. Ele é o próprio testemunho vivo da prece, do « Vigiem e orem ».  O Liberado Vivo,  pela subida da Onda da Vida ou pelo Fogo Ígneo, está permanentemente nesse estado, mesmo se ele desempenha o jogo da pessoa, mas ele não é tolo. Olhem Bidi, vocês sentem bem a diferença entre a raiva, se posso dizer, e a expressão estrondosa de um Bidi, mesmo quando ele estava encarnado – aliás ele me dava medo, hein, eu jamais quis encontrá-lo. Sim, é normal, ele dá muito medo, Bidi, àqueles que se glorificam do Si, hein, que estão no ego espiritual, é normal. Portanto, se vocês querem, o Liberado Vivo vigia e ora mesmo se ele não quer ; não há mais pessoa, mesmo se ele desempenha a pessoa. Sua consciência, presente nesse corpo, vigia e ora.  Mesmo se não há os estigmas, mesmo se ele não diz nada, ele realizou o estado crístico. Ele e seu Pai, ou a Fonte, são Um, realmente e concretamente. Portanto o « Vigiem e orem », para ele, é um estado permanente. O que foi dito no « Vigiem e orem »  concerne aos futuros liberados, ao conjunto dos irmãos e irmãs, despertos ou não.

Está claro ?


Questão : se foi vivida a subida da Onda da Vida até a Fonte de Cristal, se está liberado da pessoa, ela não pode mais retornar ?

Eu nada compreendi.


Questão : a pessoa não pode mais se juntar ao corpo ?

Mas sem isso, é uma ilusão, se ela se junta ao corpo. Eu não compreendi bem.


Questão : eu vivi a Onda da Vida completamente, mas eu não tive a sensação de ser liberada.

É exatamente o que eu disse há pouco, ou seja você passou do estado vibratório ao desaparecimento, mas lhe falta a Infinita Presença. Vocês estão seguros de serem liberados, mas aí você não é liberado vivo, sem isso você não me colocaria a questão.  Portanto necessariamente você cola na pessoa. A Onda da Vida os liberou desde que ela subiu e, eu os lembro, que ela atravessou o coração. Para muitos ela parou no coração e ela glorificou o Si. É necessário que ela suba até a Fonte de Cristal, mas se em você subiu à Fonte de Cristal, você necessariamente viu a Infinita Presença.


Questão : sim, eu vi alguma coisa mas...

Não, viver a Infinita Presença, não é ver alguma coisa. O Liberado Vivo sempre testemunha, qualquer que seja sua religião, devido a sua cultura, os mesmos conceitos expressos. Aquele que é liberado vivo não se coloca mais a questão da Onda da Vida, da Fonte de Cristal e de todas essas vibrações. Mas você o vê bem em sua vida. Se lhe restam medos, se lhe restam dependências, se lhe restam comportamentos aberrantes, como você quer ser livre ?

Ainda uma vez, eu lhes dei essa precisão, é profundamente diferente desaparecer nos escutando ou desaparecer por uma subida brutal da Onda da Vida, embora a Onda da Vida, em geral, ela não era feita para desaparecer, é essa palavra « desaparecimento » que lhes coloca um problema, hein ? O Liberado Vivo tem a lembrança do que alguns descreveram em sonho, essa Paz incrível. Ele sabe que ele é isso, portanto a pessoa não pode mais colar.  Se ela cola, é porque falta um elemento no nível da última consciência, que não foi trazido, se posso dizer. Muitos seres viveram a Onda da Vida, e alguns disseram : « Aí está, eu sou liberado porque eu vivi a Onda da Vida. » Não, a Onda da Vida, ela pôde parar no primeiro chakra, no segundo chakra, no coração. Isso lhe dá a segurança da Liberação – no final.

Ainda uma vez, isso foi dito múltiplas vezes, por mim, por outros : quando vocês estão liberados vocês não se colocam a menor questão sobre o que quer que seja. Assim que vocês colocam a questão de saber se vocês são liberados, é que vocês não são liberados, é tão simples assim.  E então, depois, se vossos comportamentos não traduzem essa Liberdade tal como vocês puderam ver em um Nisargadatta, há até mesmo vídeos que correm, sobre ele. Vocês também têm vídeos da Fonte, de Babaji ; olhem esses seres, vocês vão ver bem se vocês são como eles ou não.

Aliás, se vocês colocam a questão da Liberação, quando você diz : « Eu não tenho a impressão de ser liberado », ou você diz : « Eu tenho a impressão de ser liberado », não é verdade, nem um nem o outro. Isto é que você desapareceu, a Onda da Vida fez você desaparecer e lhe deu a certeza de sua Liberdade. Ah, isso não quer dizer que todos esses seres aí vão passar 132 dias na natureza, porque vocês são muitos a ir aos círculos de Fogo, mesmo assim.  Mas ainda uma vez, finalmente, não há diferença, simplesmente as coisas a viver enquanto pessoa, antes do Apelo de Maria, e eventualmente durante os 132 dias, não têm nada a ver com o Liberado Vivo.

O Liberado Vivo, ele pode aliás decidir se encontrar na natureza, nos Círculos de Fogo, ou abandonar seu corpo, ou partir com uma embarcação, ele faz o que ele quer.  Mas o marcador do Absoluto, é sobretudo, hoje, vossa capacidade de estarem no instante presente, para estarem plenamente presentes e conscientes aqui mesmo, para observarem por vocês mesmos que não há nenhum medo que pode voltar, que não há nenhuma apreensão do que quer que seja, que não há nenhuma preocupação do que quer que seja concernente ao Espírito.  Ele pode ter preocupações sobre viagens organizadas, sobre o que se vai comer, sobre o que se vai ver como filme, sim certamente, mas no nível espiritual, é a calma total.  Vocês veem a diferença ?

Vocês o veem entre os seres diretamente. Se vocês têm um Liberado Vivo que está sempre na raiva, que está sempre prestes a criticar, que está sempre prestes a manifestar comportamentos ligados à pessoa, ele não é liberado, ele lhes mente – ele mente a ele mesmo antes de tudo.  Aliás, perguntem a um verdadeiro Liberado Vivo, ele jamais poderá lhes dizer se vocês são liberados ou não, ele vê além de tudo isso.  Está claro ?


Questão : para alguns, a instalação em Eternidade parece gradual, ou por etapas.  Isso significa que a alma faz sempre tournicoti-tournicota ?

Não, tudo isso acabou. Acabou tudo isso, eu lhes disse.  A alma está em vias de consumação, o que resta, é uma pessoa que não viu tudo, na encarnação, em sua pessoa, não no Espírito.  Aliás hoje, independentemente do que vocês seguiram conosco, para aqueles que seguiram mais recentemente ou mais antigamente, vocês têm muitíssimos irmãos e irmãs que não têm nada a ver com vocês, que estão em outras correntes, vamos dizer, e que perceberam que o advaita vedanta era alguma coisa até mesmo muito interessante.  Mas esses seres aí, eles aderem ao advaita vedanta, mas absolutamente eles não são Absolutos, o que quer que eles digam. As palavras que são empregadas, mesmo, traduzem seu erro, mas não é grave uma vez que finalmente eles também serão liberados.  Bom, alguns foram recrutados porque eles eram muito bons.

Todas as viagens que vocês fizeram, para alguns, quando vocês tiveram a possibilidade de fazer viagens em Existência, de fazer processos de comunhão, de fusão, tudo isso foi para lhes dar provas, e era suficiente viver o Si para vivenciá-lo. Aliás isso interveio antes que Bidi evocasse a menor noção. Antes de Bidi, nós lhes falamos todo o tempo de duas coisas : dualidade, Unidade. Com o Advaita, é a noção de não-dualidade, mas isso não quer dizer que é Unidade. Está bem além desses conceitos de Unidade ou de dualidade, não há mais conceitos, há somente a evidência dessa Paz eterna que foi vivida e que é vivida permanentemente, o que quer que diga a pessoa.

Mas vocês não podem comparar a raiva ou a diversão de um Liberado ; a emanação daquele que é liberado não tem nada a ver com a emanação natural de alguém que vive o Si. Alguém que vive o Si vai ser sério, ele vai manter um rigor ; o Liberado Vivo, o que é que vocês querem que ele tenha a fazer com esses contextos ? Ele faz o que ele quer uma vez que ele não é mais a pessoa, mesmo que há uma pessoa que se apresenta diante. Isso faz mesmo uma sagrada diferença.  O Liberado vivo não tem necessidade nem de meditar nem de orar, ele é meditação e ele é prece, ele é Amor. Vocês vejam bem Bidi, apesar de sua voz e seu físico muito menos agradável que o meu, eh bem mesmo assim é o Amor que sai, não ?  Portanto o físico não tem nada a ver nisto, aliás felizmente, hein, sem isso ele teria se preocupado. Bom, é necessário parar a maledicência.


Questão : você poderia nos lembrar o que implica o fato de já ter sido chamado por Maria ?

Mas, isso foi dito : certeza de ser liberado, finalmente. Mas vai necessitar passar por coisas, não desagradáveis hein, já disse isso, mas considerar os pontos que  prendem, que vocês mesmos criaram em meio à pessoa, à história, ao karma, ao histórico, aos laços que existem sobre esta terra.


Questão : eu compreendi que há praticamente duas finalidades : durante os 3 dias, há aqueles que já partiram ou estão nos Círculos de Fogo, e há os 132 dias para a finalidade final.

Mas a finalidade final, é o planeta-grelha total e terminal, certo ? Que vocês estejam nos Círculos de Fogo, não é uma recompensa, hein, é necessário não acreditar que vocês são mais eleitos do que os outros porque vocês estão em um Círculo de Fogo. Se vocês estão em um Círculo de Fogo, é porque vocês não têm necessidade de permanecer no ambiente de 3D, mesmo se vocês mantém vosso corpo, é tudo. Mas muitos terão necessidade desse ambiente 3D para verem o que não foi visto. Não o Liberado, porque o Liberado, ele faz o que ele quer, mas se o Liberado quer permanecer fora dos Círculos de Fogo para ajudar os irmãos e as irmãs sofredoras, ele tem total liberdade, isso nada mudará para ele.

Eu não compreendo qual é a problemática.

Questão : quando você fala da liberação final, isso quer dizer o fim, após os 132 dias ?

É isso, mas eu os lembro que resta um certo número de dias, de semanas, de mês (N.T. « de mois » a palavra mês em francês não tem plural, aqui pode estar se referindo tanto a 1 mês como a meses), mais 132 dias. E são essas condições que serão profundamente diferentes. Para o Liberado Vivo, não : que ele deixe seu corpo, que ele vá em uma embarcação, que ele deixe seu corpo aos Dracos, que ele esteja nos Círculos de Fogo enquanto instrutor ou simplesmente por prazer, isso não tem nenhuma espécie de importância para ele, mas não é a mesma coisa para aqueles que vivem o Si, mesmo se eles desapareceram.  Eles estão seguros de serem liberados, sim, mas todo mundo é liberado, nós lhes dissemos, no final, mas o que vocês têm de passar não é a mesma coisa.  O Liberado Vivo, ele não tem nada a passar, absolutamente nada, ele refina nesse período os pequenos elementos, se ele o deseja.  O Liberado está livre, ele é meditação e prece, ele não tem necessidade de meditar, ele não tem necessidade de orar, ele não tem necessidade de nada.  Aliás, ele não busca nada.

Desde que emerge uma questão em vocês, aí é claro nós jogamos o jogo das questões, mas quando vocês estão sozinhos, se há questões espirituais, de ordem espiritual, que surgem, tirem as conclusões : vocês não estão livres.  Vocês serão liberados, mas no momento hoje, no instante presente, esse não é o caso, é a segurança de serem liberados. É claro as coisas serão diferentes após os 3 dias, é justamente isso que cria a atribuição e eu diria, o trabalho, se podemos falar de trabalho, o caminho que vocês têm a viver durante esses 140 dias, eu posso dizer.


Questão : como são os casulos de Luz de um Liberado Vivo ?

É muito simples, ele tem um corpo etérico, ele não tem mais o corpo astral, nem o corpo mental e nem o corpo causal. Se vocês o olham e se vocês são médiuns, vocês vão ver uma fantástica Luz Branca, mas segundo alguns esclarecimentos, ele pode aparecer dourado, mas a aura é antes de tudo branca. É a brancura imaculada, estilo Gemma Galgani ou o Arcanjo Uriel.


Questão : se queremos deslocar nossa consciência em um outro lugar, imagina-se que se está lá ou se tem a impressão de estar, vemos o que se passa ali, mas se a alma é dissolvida não será mais possível utilizar a imaginação para se deslocar...

Você mesmo disse que você utiliza a imaginação.  O imaginário e a imaginação não têm nada a ver com a Verdade, é uma projeção. Imaginar é igual a projetar.  Mesmo se essa imaginação é seguida de efeito, isso não é a Verdade, hein.  Servir-se do imaginário ou da imaginação para criar coisas, isso é o que ? É completamente astral. Não é o mundo dos arquétipos, não é o supramental. Você mesmo o disse : imagem, imaginar.


Questão: sim, mas se, após ter imaginado estar em um lugar, nos transformamos em observador, não há mais imaginação que atue...

Mas o Liberado Vivo ou aquele que realizou tudo isso, ele não tem mais necessidade de imaginação, ele está ligado diretamente ao mundo dos arquétipos. Ele não tem necessidade de imagens, ele não tem necessidade de imaginar o que quer que seja, ele não tem necessidade de projetar o que quer que seja. Eu atraio sua atenção, ainda uma vez, sobre a imaginação, que é do astral, do vento.


Questão : mas se não há mais alma, não há mais astral...

Bem o Liberado Vivo não tem mais alma.


Questão : e se ainda não se é liberado vivo ?

Bem sim, mas há almas que estão em dissolução ; se você desapareceu, sua alma, ela está em curso de dissolução, então, por que querer manter as imagens, ou a imaginação ou o imaginário ?  Naquele momento você se opõe, a pessoa.  É o ego, é o ego espiritual, típico, sutil, mas típico.

Ainda uma vez, eu não questiono seu coração porque eu o vejo, mas o ego se agarra a tudo enquanto vocês não viram vosso ego, vocês tomam bexigas por lanternas.  Portanto vocês vão imaginar coisas, uma imagem, um lugar como você diz, a energia vai seguir o que você diz : « Ai está, isso vibra ».  Mas não, mas tudo isso é besteira total. São as mesmas quimeras que as vidas passadas, o karma e tudo isso. Eu os lembro que o karma foi criado pelos Arcontes, pelo que foi chamado os Lipikas Kármicos, os Senhores do Karma. Felizmente que nessas assembleias, havia Arcontes mas havia também Melchisedeques, para vigiar que não houvesse abusos.

Mas aqueles que os dirigem, quando vocês partem e vocês retornam, não é a Luz, hein ?  Porque se vocês sabem o que é a Luz, não há karma que se mantém diante da Luz, porque vocês são apanhados pelo fato de acreditarem que há alguma coisa a melhorar. É sempre a mesma história, purificar o karma, melhorar isto, melhorar aquilo.  O Liberado Vivo, isso ele está acima, ele jamais buscou se melhorar, bem ao contrário, ele não tem senão um objetivo, o Absoluto, ou a Verdade, e a Verdade ela sempre esteve aí, o Absoluto também, nós sempre lhes dissemos. É o ego que o impede de vê-lo e de vivê-lo.

Então, além disso, nesta fase de dissolução da alma coletiva do mundo, você se diverte em criar imagens, a imaginar, mas você se opõe à sua própria Liberdade, você é apanhado, você se prende, pelos devaneios, por coisas que não são a Verdade.  É claro elas são agradáveis, mas elas satisfazem quem ? Certamente não o que você é em espírito, elas satisfazem a pessoa.


Questão : a alma se dissolve sozinha, então seremos privados de nossa imaginação sem esforço particular...

Eu nada compreendi. Eu ouvi, mas nada compreendi. Nada compreendi, é necessário formular de outro modo.


Questão: não sendo liberado vivo, se minha alma se dissolve sozinha, eu não teria esforço particular a fazer...

Perfeitamente, mas os esforços que você faz, você traz sua alma para a matéria. Ela se voltou e você a obriga a trabalhar sobre a imagem.  A imagem, isso foi explicado, vocês tinham Ma Ananda na época, vocês tinham Irmão K, é necessário revisar suas lições, aí hein. Porque você acredita que fazendo esforços com sua alma que está aí, isso vai ajudá-lo a ir para a dissolução, você ? Enquanto há imagens e formas, você não é livre.


Questão : sim, eu não a ajudo...

Eh bem, então faça-o. Você alimenta sua alma em uma polaridade que não é mais a sua.


Questão : pode-se dizer : « Felizes aqueles que não viveram grande coisa até o presente. » ?

Eh sim, mas nós sempre lhes dissemos, os primeiros serão os últimos, os últimos serão os primeiros, e é o caso. Vocês vão ver nos dias, nas semanas, vocês têm irmãos e irmãs, da família que não acreditam em nada, que estão mesmo totalmente opostos ao que vocês vivem, que estão inseridos neste mundo, na matéria mais densa, que de um dia para o outro vão ser liberados.  Portanto é claro, isso pode colocar questões, mas não, é normal. Eles não têm toda a confusão espiritual que vocês acreditaram desde, para alguns de vocês, vidas e vidas. Eu diria que a matéria bruta, a personalidade a mais crua é mesmo a mais capaz de ser quebrada, porque vocês, vocês têm bagagens espirituais – e vocês se prendem, para alguns, a vossas bagagens, hein. Vocês não levam nada, hein, quando vocês morrem, nenhuma de vossas experiências, nenhuma história. Já era o caso antes.


Questão : eu tive um sonho recentemente : eu ia tomar um trem, eu não tinha bagagens, e as portas se fecharam exatamente diante de mim.

Oh, é o medo de estar em atraso para a grande viagem, você está aterrorizada por essa ideia.  Mas você sempre compreendeu e ouviu que no final vocês são todos liberados. E olhem como o ego se comporta, ele os incute cada vez mais medos : eu vou chegar lá ? Portanto o sonho não significa que é necessário não perder o trem. Assim é seu ego quem diz, aí não é alguma coisa que vem de muito alto, são simplesmente suas preocupações cotidianas que se manifestam nesse sonho, as portas se fecham exatamente diante de seu nariz. Isso quer dizer que você está repleta de medo.


Questão : no entanto eu não tinha bagagens.

Como ?


Questão : no entanto eu não tinha bagagens.

Sim, sim, eu compreendi que você tinha deixado as bagagens, mas o trem parte assim mesmo. Você deixou as bagagens espirituais, mas há outras bagagens, que é o apego à sua própria história e à sua própria pessoa, e isso, isso se percebe. Você fez o luto de sua pessoa ? Eu não falo mesmo de Liberação ou de desaparecimento, aí. Conscientemente, aqui, em sua consciência ordinária, não é em outro lugar que isso se passa. Aliás é simples, eu sempre repeti : o medo ou o Amor. Se há medo, é que não há suficiente Amor, se há o medo, é que o Amor não está aí.


Questão : no entanto eu não tenho a sensação de ter medo...

Você não tem a sensação de ter medo. O que é que se manifesta quando sua garganta se bloqueia ? É o medo. Ele está somatizado, portanto você não o vive em consciência porque era muito duro para viver, mas é seu corpo quem o vive, é um medo cristalizado.  Eu falei de acontecimentos violentos no nível do corpo, que quebra ? As coisas que vocês não viram. São os medos, o medo do fim da história, o medo de perder os filhos, o medo... De qualquer maneira, esse medo, vocês o sabem, são as Cinco Etapas do Choque da humanidade, a negação.  O problema, é que agora tudo desce cada vez mais no corpo, e efetivamente vossa consciência, obrigada e forçada, se libera, se desengaja, se posso dizer, qualquer que seja seu estado de alma.  Portanto, o que é que resta ao corpo para traduzir-lhes o apego ao corpo ? Os sintomas do corpo.

Vocês sabem muito bem que o Liberado Vivo não é afetado pela dor, ele a sente mas isso não faz mal, é toda a diferença. Para aquele que está na pessoa, ele é arrastado pela dor ; o Jnani, como diz Bidi, jamais é arrastado pela dor. Olhem Nisargadatta, ele tinha um câncer da garganta ; se minhas lembranças estão boas, é alguma coisa que faz muito muito muito mal. É uma dor terrível, o câncer da garganta, sobretudo ligado ao tabaco, enfim para essas coisas, lá, espécies de mini-cigarros que levam seu nome, mas era muito mais tóxico do que o tabaco, esse troço aí.  Isso não o impediu de ser liberado mas o corpo, ele bem o fez pagar as consequências.  Mas como ele não era seu corpo, isso não teve nenhuma espécie de importância.

Outra questão.


Questão : após a morte, o corpo é dissolvido, ele se une à terra, ele é reciclado...

Não, não em absoluto.  O corpo, aí, seja que ele vai para as geladeiras dos Dracos, seja que ele parte para os Círculos de Fogo, seja que ele parte nas embarcações quando há memórias a recuperar, seja o corpo, quando nós dissemos que ele é dissolvido, ele é carbonizado – é carbono. As radiações gama, isso queima, não é o Fogo Ígneo, é um fogo físico. Contudo está claro, eu sempre lhes disse. Não é questão de sujar a terra com seus corpos, ela já está suficientemente suja como está.


Questão : mas, é o que se passava no passado...

Como ?


Chegou a hora.

Eram as últimas questões. Então eu lhes transmito todo meu Amor, talvez eu terei a chance de vir lhes bater na cabeça esta noite. Eu vou retornar e me divertir um pouco. Há quem me colocou questões, aí, que merecem um esclarecimento mais direto, eu diria.

Eu lhes transmito todo meu amor, e para alguns de vocês, eu lhes digo até logo.


***

Tradução do Francês: Ligia Borges


Um comentário:

  1. Mensagem belíssima, como que coroando em puro encanto estas mensagens de abril/2017. Foram contados belos sonhos... Foram narradas belas vivências...

    Como brindes dessa beleza :

    ... Os eleitos são aqueles que elegeram seu domicílio na Eternidade. Os chamados são aqueles que de qualquer maneira serão eleitos, mas que imperativamente devem passar por etapas. Essas etapas elas são agora, no efêmero primeiramente, na vida de todos os dias, e muito rapidamente nos 132 dias.

    ... O Liberado jamais se coloca a questão de ser liberado, ele encontrou o que ele é. Para ele, mesmo a Liberação não quer dizer nada, nem o fim do mundo, nem o fim de seu corpo. Ele está aí porque ele está aí, e vocês sabem muito bem que para passar o buraco da agulha, é necessário abandonar todas as bagagens, o Cristo o disse.

    ... Portanto, se vocês querem, o Liberado Vivo vigia e ora mesmo se ele não quer ; não há mais pessoa, mesmo se ele desempenha a pessoa. Sua consciência, presente nesse corpo, vigia e ora. Mesmo se não há os estigmas, mesmo se ele não diz nada, ele realizou o estado crístico. Ele e seu Pai, ou a Fonte, são Um, realmente e concretamente. Portanto o « Vigiem e orem », para ele, é um estado permanente. O que foi dito no « Vigiem e orem » concerne aos futuros liberados, ao conjunto dos irmãos e irmãs, despertos ou não.

    ResponderExcluir